Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 01h11.

Jornal do Comércio

Panorama

COMENTAR | CORRIGIR

Teatro

Notícia da edição impressa de 16/03/2017. Alterada em 15/03 às 17h02min

Peça com Luiz Fernando Guimarães chega neste fim de semana a Porto Alegre

Luiz Fernando Guimarães vive oito personagens em O impecável

Luiz Fernando Guimarães vive oito personagens em O impecável


GUGA MELGAR/DIVULGAÇÃO/JC
Cristiano Vieira
Um ator, oito personagens e o palco. Dessa mistura aparentemente complicada resulta O impecável, peça com Luiz Fernando Guimarães que chega neste fim de semana a Porto Alegre, com sessões sexta-feira e sábado (21h) e domingo (18h) no Theatro São Pedro. Ingressos entre R$ 20,00 e R$ 100,00, à venda na bilheteria do local.
A comédia se passa em um típico salão de beleza no Rio de Janeiro. No Impecável Beauty desfilam tipos excêntricos como seu Francisco, um faxineiro evangélico fervoroso; Guido, o cabeleireiro que se gaba de sua masculinidade; e, claro, a dona Eleonora, outra figura nada comum: ex-miss, ela não dá muita importância para o salão, herdado do ex-marido.
Com o mesmo figurino, sem adereços e cenário fixo, Guimarães interpreta oito personagens sem deixar a peteca cair. Os tipos, politicamente incorretos, são um prato cheio para colocar, no palco, sentimentos como ira, inveja e ganância em cena - não à toa, são os pecados capitais. "Andy Warhol dizia que um salão de beleza é a antessala do inferno. Os sentimentos mais pesados andam por ali. Tudo, claro, com muito humor", avisa Guimarães.
Dirigido por Marcus Alvisi, parceiro de longa data do ator, O impecável foi concebido pela celebrada dupla Charles Möeller e Claudio Botelho, responsáveis por musicais de sucesso no Brasil, como O mágico de Oz, A noviça rebelde e o recente Rocky Horror Show. "Inicialmente, eram personagens caracterizados, mas o Alvisi sugeriu a ideia de cara limpa, o que achei desafiante e contemporâneo. Cada personagem tem seu jeito de falar, sua expressão. É isso que colocamos no palco", destaca ele.
A parceria entre Guimarães e a dupla Möeller e Botelho surgiu com o desejo do ator de ter um espetáculo com o qual pudesse viajar pelo Brasil. A partir disso, Möeller e Botelho resgataram personagens que haviam criado para espetáculos diferentes e os transformaram em um texto único.
O plano inicial era fazer um musical, mas o resultado foi um trabalho inédito na carreira dos autores, que, pela primeira vez, trabalharam um texto de comédia em formato de peça. "Graças ao talento do Luiz Fernando, vimos um potencial para que o texto pudesse funcionar também num monólogo 'multipersonagem', um espetáculo que poderia abrir mão da música", explica Botelho.
Entre os personagens há, ainda, Dr. Ivan, um psicólogo boa praça que começou a ser mais vaidoso depois de sofrer a vida inteira com os apelidos ligados à sua aparência nada exuberante. O estabelecimento também recebe Rodolfo, o solteirão que chega para levar a mãe para dar uma repaginada no visual e fica tempo suficiente para trocar dois dedos de prosa com os profissionais.
O intérprete do eterno Rui de Os normais destaca que o Brasil tem grandes comediantes, cada um com seu tipo de humor. "No meu caso, faço esse humor mais escancarado. Há detalhes sutis também, como as expressões faciais. Na TV Pirata, por exemplo, eu era mais contido", relembra ele.
Para viver oito personagens tão distintos em O impecável, Guimarães se preparou por dois meses em ensaios com duração de três horas, quatro vezes na semana. O ator também fez preparação vocal e corporal. "A maior dificuldade dos ensaios é estar sozinho no palco, sendo que, ao mesmo tempo, preciso interpretar vários personagens que estão em cena e se comunicam", diz.
Além de um texto rico e divertido, a plateia verá a mudança entre um personagem e outro acontecendo no palco, sem troca de cenários ou figurino, como revela Alvisi: "O público vai acompanhar a transformação. É como se, ao olhar para um relógio, não vissem só as horas, mas também o mecanismo por trás dos ponteiros. Não iludimos ninguém com artifícios, apenas com a interpretação do Luiz Fernando".
O impecável já circulou por 22 cidades, reunindo mais de 50 mil espectadores. A montagem é um prato cheio para Guimarães neste momento particular de sua carreira. "Queria viajar o Brasil trabalhando. Gosto imensamente de teatro e de me relacionar com o público", completa ele.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia