Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de julho de 2017. Atualizado às 23h12.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Vinicius Ferlauto

Giro Rápido

Notícia da edição impressa de 14/07/2017. Alterada em 13/07 às 19h00min

Expansão de atividades

Responsável por fornecer componentes e acessórios para todos os veículos das marcas do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA) no mundo, a Mopar inaugurou um novo centro de distribuição de peças na cidade de Hortolândia (SP), acompanhando a expansão de suas atividades no Brasil. Em uma área de 42 mil metros quadrados, e empresa investiu cerca de R$ 15 milhões para movimentar até 2 milhões de peças por mês. O armazém abastecerá mais de 400 concessionárias da Fiat, Jeep e Chrysler em oito estados brasileiros (São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Acre), com peças vindas dos Estados Unidos, Europa e da fábrica da Fiat em Betim (MG).
Negócios de peso
A Mercedes-Benz do Brasil encerrou o primeiro semestre de 2017 com aumento de 44% nas exportações de caminhões. O volume embarcado nesse período foi de 3.965 unidades, contra 2.748 no mesmo intervalo do ano passado. No segmento de ônibus, o crescimento foi menor: 24%, com a venda externa de 3.354 veículos em comparação com os 2.701 comercializados em 2016. Entre os principais mercados de destino, destaque para a Argentina, que comprou 3.072 caminhões no primeiro semestre. A marca também aumentou em 25% os negócios de caminhões e ônibus para regiões do Oriente Médio e África.
Sinais positivos
O mercado de crédito para a compra de veículos novos dá mais sinais positivos. Os bancos de montadoras e independentes concederam R$ 8,2 bilhões em financiamentos no mês de maio, segundo melhor resultado do ano, ficando abaixo apenas do volume registrado em março, que foi de R$ 8,3 bilhões. Na comparação com abril, a alta foi de 23% e, em 12 meses, de 31,3%. Segundo os dados divulgados pela Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras, nos cinco primeiros meses deste ano, o total de recursos liberados foi de R$ 36,9 bilhões, aumento de 19,9% frente ao mesmo período de 2016. A entidade considera o crescimento no mercado de crédito automotivo ainda tímido, mas com tendência de aceleração até o final do ano.
Controle total
A PST Electronics, detentora da marca Pósitron - de alarmes, rastreadores, som e acessórios automotivos -, anunciou que sua principal acionista, a empresa norte-americana Stoneridge, formalizou um acordo para a compra de 26% das suas cotas. Como a participação da Stoneridge já era de 74%, isso significa o controle total da PST Electronics. O fato deve causar o crescimento das atividades no mercado internacional. No Brasil, as projeções da PST são de uma receita de R$ 350 milhões neste ano, o que representará uma expansão de 10% dos negócios em relação a 2016, com forte foco no mercado de rastreadores.
A revolução dos elétricos
Os veículos elétricos serão responsáveis pela maioria das vendas de automóveis novos em todo o mundo até 2040 e representarão 33% de todos os modelos leves de passeio, de acordo com uma nova pesquisa publicada pela equipe de transportes da Bloomberg New Energy Finance. O estudo se baseia em análises detalhadas das prováveis futuras reduções no preço das baterias de íon de lítio e em perspectivas para os outros componentes de custo em veículos elétricos e com motores de combustão interna. A principal descoberta da pesquisa é que essa mudança atingirá o mercado de carros com mais força e rapidez do que previsto anteriormente. A estimativa agora é de que os veículos elétricos representarão 54% de todas as novas vendas de automóveis de passeio em todo o mundo até 2040 - a projeção anterior era de 35% de participação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia