Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de abril de 2017. Atualizado às 00h31.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Vinicius Ferlauto

Giro Rápido

Notícia da edição impressa de 13/04/2017. Alterada em 12/04 às 20h01min

Fábricas sem resíduos

A Ford atingiu uma importante meta ambiental neste mês, zerando o envio de resíduos para aterros sanitários em todas as suas fábricas de veículos no Brasil. Além do aumento progressivo da coleta seletiva, com a separação e destinação correta de cada tipo de descarte nas unidades fabris, várias outras ações contribuíram para esse resultado, como a reciclagem, coprocessamento, compostagem e incineração de diferentes materiais. As plantas paulistas da marca, em Taubaté e São Bernardo do Campo, já haviam conseguido tal feito há algum tempo e, agora, a unidade de Camaçari, na Bahia, se juntou àquelas.
Exportações em alta
A Volkswagen do Brasil registrou um aumento de 102% nas exportações no primeiro trimestre de 2017, em comparação com igual período de 2016. Foram 47.925 unidades enviadas a mercados externos neste ano, contra 23.650 no ano passado.
Ganhando relevância
O Nissan Versa chegou à marca de 100 mil unidades comercializadas no Brasil desde novembro de 2011, quando começou a ser importado do México. Sua produção nacional, em Resende (RJ), se iniciou em abril de 2015. Nesse período de pouco mais de cinco anos, a participação do carro no segmento de sedãs compactos subiu de 5,3% para 6,9%.
Ranger na China
A Ford anunciou que lançará a Ranger na China em 2018 com o objetivo de crescer no promissor mercado de picapes daquele país. Os utilitários respondem hoje por menos de 2% das vendas locais, mesmo assim a China já é o quarto maior consumidor desses veículos no mundo, com crescimento de 14% no ano passado.
Discreta reação
O total de recursos liberados pelos bancos das montadoras de veículos para financiamentos nos dois primeiros meses de 2017 somou R$ 13,9 bilhões. Esse volume significa um aumento de 13,2% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando a soma foi de R$ 12,2 bilhões. As operações de crédito direto ao consumidor (CDC) representaram R$ 13,7 bilhões, enquanto os R$ 217 milhões restantes envolveram leasing.
Registro nacional de veículos
O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou uma resolução que visa a tentar manter atualizado o registro nacional de veículos. A partir de agora, automóveis sem licenciamento há mais de 10 anos e com mais de 25 anos de fabricação poderão sofrer uma "baixa" automática. Até então, esse procedimento era efetuado apenas em casos de veículos irrecuperáveis, desmontados, com perda total ou então vendidos como sucata. Tais automóveis têm o registro do chassi e as placas destruídas, além de numeração do Renavam cancelada. Segundo o Contran, há um elevado volume de veículos enquadrados nessas situações, os quais podem perder o registro nacional, estando em circulação ou não. Quem for flagrado rodando com um desses, pagará multa de R$ 293,47 e terá o automóvel apreendido, além de receber sete pontos na carteira de habilitação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia