Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 16 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 16/05/2018. Alterada em 16/05 às 00h17min

Exportações do campo chegam a US$ 1,1 bilhão

Farelo salvou o resultado do complexo soja no mês passado

Farelo salvou o resultado do complexo soja no mês passado


/JONNE RORIZ/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/JC
O agronegócio gaúcho exportou US$ 1,101 bilhão em abril, valor que representa 68% do total comercializado pelo Estado. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve um aumento de 11,8%. Apesar de expressiva queda nas vendas de frangos e suínos, a carne bovina retomou o crescimento. Os dados estão no Relatório do Comércio Exterior do Agronegócio, divulgado pela Farsul ontem. 
Nacionalmente, as exportações de produtos do agronegócio atingiram US$ 8,89 bilhões em abril de 2018, cifra 2,7% superior ao valor registrado em igual mês do ano anterior
(US$ 231,63 milhões). 
O destaque da pauta das exportações no mês de abril foi o complexo florestal, puxado pelas vendas de celulose, que tiveram recorde no mês de abril em quantidade (1,17 milhão de toneladas, 10,4%) e valor (US$ 643,80 milhões, 40,3%).
No Estado, o embargo da União Europeia resultou em uma queda de 16,6% na exportação da carne de frango. Os suínos também acompanharam o movimento, com retração de 52,2%. O grupo carnes, com isso, registrou -23,4% no valor comercializado. O resultado não foi pior devido à recuperação da carne bovina, que teve aumento de 29,8%.
Situação semelhante aconteceu com o grupo complexo soja, cujo valor exportado cresceu 10,6%, chegando a US$ 674 milhões, graças ao bom desempenho do farelo de soja ( 193%), já que as exportações de óleo de soja (-15%) e soja em grãos (-0,3%) apresentaram quedas.
O grupo fumo e seus produtos também teve bom resultado, com crescimento de 130%, assim como produtos florestais, com 47,5%. O desempenho do arroz em abril, que teve aumento de 149% em valor, não foi suficiente para reverter o cenário do grupo cereais, que apresentou queda de 37,2%.
Mas, no acumulado, as exportações orizícolas puxaram o resultado dos primeiros quatro meses do ano, juntamente com complexo soja (36,4%), carne bovina (40%), fumo e seus produtos (107%), e produtos florestais (6,2%), que garantiram aumento de 28,5% no quadrimestre na comparação com o mesmo período de 2017. Entre os meses de março e abril de 2018, houve um aumento de 7,1% no valor e de 15% no volume exportado.
A China se mantém como principal destino do agronegócio gaúcho, respondendo por 40% do valor exportado. Em segundo lugar aparecem os Estados Unidos, com 4,5%; e em terceiro, a Coreia do Sul, com 3%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia