Porto Alegre, quinta-feira, 17 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Museu descobre duas novas páginas do diário de Anne Frank

O museu Casa de Anne Frank anunciou, na última terça-feira (15), que duas páginas inéditas do diário da alemã foram reveladas por meio de tecnologia digital. Escritas em 28 de setembro de 1942, elas haviam sido encobertas pela autora, que colou papel pardo sobre os textos. Os pesquisadores responsáveis pela revelação acreditam que as páginas tenham sido ocultadas devido ao seu conteúdo, que inclui piadas “sujas” e descrições de assuntos sexuais. As novas páginas serão disponibilizadas em breve pela internet, mas apenas em holandês, devido a restrições de direito autoral. Annelies Marie Frank nasceu em uma família judia de Frankfurt, em 1929. Com a ascensão do nazismo, se mudou para a Holanda, onde permaneceu até 1944, quando o paradeiro da família foi denunciado e todos foram levados para o campo de concentração de Bergen-Belsen. Apenas o pai, Otto Frank, sobreviveu e foi o responsável pela publicação dos relatos da filha.
 

FOTO ANP/AFP/JC