Porto Alegre, sábado, 30 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Kuczynski e Keiko Fujimori são interrogados em Lima por caso Odebrecht

O presidente peruano Pedro Pablo Kuczynski e a líder da oposição, Keiko Fujimori (ao centro) foram interrogados na quinta-feira (28), em Lima, pelos procuradores que investigam o caso Odebrecht no país. Keiko depôs sobre suposta lavagem de dinheiro após os investigadores brasileiros encontrarem uma mensagem no celular de Marcelo Odebrecht com a frase "aumentar Keiko para 500". Ela nega ter recebido dinheiro da Odebrecht. O interrogatório de Keiko ocorreu na mesma hora que um protesto contra o indulto do ex-presidente Alberto Fujimori, pai de Keiko, sentenciado a 25 anos de prisão. Já Kuczynski foi interrogado sobre o pagamento de mais de US$ 782 mil que a Odebrecht realizou a sua consultoria financeira enquanto o presidente era primeiro-ministro, entre 2001 e 2006. De acordo com a lei peruana, Kuczynski não pode ser acusado até que conclua seu mandato, em 2021, mas pode ser convocado como testemunha.
 

FOTO ERNESTO BENAVIDES/AFP/JC
30/12/2017 - 15h15min