Porto Alegre, sábado, 11 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Exército destroi quase 14 mil armas no Rio Grande do Sul

O Exército não atua só com ações de defesa e até segurança pública, como as incursões em zonas de violência, como no Rio de Janeiro. No Rio Grande do Sul, a força é empregada para destruir armas e munições apreendidas. O Comando da 3ª Região Militar destruiu, nessa quinta-feira (9), quase 14 mil armas de fogo, 7,2 mil armas branca e quase 84 mil cartuchos de munições. A ação é contribuição do Exército para a segurança da sociedade, definida pelo Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/2003). O 3° Batalhão de Suprimentos é a única Organização Militar gaúcha que pode fazer a custódia ou destruir materiais. Em quase 15 anos, foram destruídas cerca de 220 mil armas de diferentes tamanhos e calibres. Há um rigoroso protocolo para receber e armazenar os objetos. Desde dezembro de 2016, armas longas também podem ser repassadas a órgãos de segurança pública.
 

FOTO Sandro Buchaim/Exército/Divulgação/JC
11/11/2017 - 01h47min