Porto Alegre, segunda-feira, 28 de julho de 2014. Atualizado às 22h08.
Hoje é Dia do Agricultor .
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
9°C
24°C
13°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2250 2,2270 0,27%
Turismo/SP 2,1300 2,3400 0,84%
Paralelo/SP 2,1400 2,3400 1,26%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
149467
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira
adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 14/10/2009

Sinuca de bico

O cancelamento da viagem da governadora Yeda Crusius (PSDB) aos Estados Unidos nos remete a uma projeção com relação ao seu comportamento às vésperas das eleições de 2010, quando tentará a reeleição. A governadora abortou a viagem - segundo suas afirmações à imprensa na manhã de sábado passado - porque corria o risco de que o seu vice, Paulo Feijó (DEM), assumisse o Piratini.

O parecer de advogados, entendendo que dona Yeda pode se afastar do Estado e/ou do País, por até 15 dias, sem precisar passar o cargo para o vice-governador, não tranquilizou a “intranquila chefe do executivo gaúcho”. Ela recuou da viagem aos Estados Unidos e, depois de afirmar que ficaria por uns dias em São Paulo, cumprindo uma agenda organizada de última hora, antecipou o seu retorno a Porto Alegre.

A governadora está entre nós, desde a noite de segunda-feira, colocando fim à boataria que assolava a comunidade política. Pois bem, essa decisão de não viajar por causa do “perigoso Feijó” antecipa um problema que ela terá, no ano que vem, ao disputar a reeleição. Dona Yeda enfrentará o pleito no poder ou vai se licenciar? Se permanecer no Piratini, a governadora será engessada. Pela lei, ela não poderá participar de inaugurações e todos os movimentos que fizer serão alvos de pesadas críticas da oposição, trazendo sérios prejuízos à sua imagem diante do eleitorado. Além disso, ao fim do mandato, ela não poderá se candidatar para cargos legislativos, porque para isso precisaria se desincompatibilizar do cargo de governadora meses antes de terminar o seu mandato.

Se dona Yeda optar pelo afastamento do cargo e ficar - como disse a poucos dias - livre para voar, a governadora entregará a função de governar o Estado a seu “inimigo político” Paulo Feijó, que aboletado na cadeira do executivo maior do Rio Grande, deverá imprimir o seu estilo de administrar, alterando completamente a equipe e, quem sabe, desmontando o planejamento concebido pelos assessores de Yeda. Como se vê, está chegando o momento de a governadora enfrentar essa “sinuca de bico”.

Recurso

O deputado Coffy Rodrigues (PSDB) protocolou ontem, na presidência da Assembleia Legislativa, recurso ao plenário da Casa, contra a decisão do presidente Ivar Pavan (PT) de arquivar o processo de impeachment contra o vice-governador, Paulo Feijó (DEM).

Coragem

O ex-deputado Lélio Souza, do antigo MDB, será agraciado com a distinção de “Deputado Emérito”da Assembleia Legislativa, em cerimônia a ser realizada no próximo dia 21. Essa honraria atende à proposição do deputado Nelson Harter, do PMDB. Nos tempos da ditadura, Lélio usava a tribuna com coragem e dignidade combatendo os poderosos de então. Lélio Miguel Antunes de Souza nasceu em Rosário do Sul, mas fez sua carreira política em Pelotas.

PMDB e Dilma

O presidente do PT, Ricardo Berzoini (SP), afirmou que a aliança do partido com o PMDB em torno da candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à presidência já está fechada com 80% dos peemedebistas. Segundo ele, o vice na chapa será do PMDB. “Já falei com o PMDB. Os peemedebistas podem, publicamente, assumir que são vice da gente”, disse Berzoini. Para consolidar essa união, no entanto, os peemedebistas correm contra o tempo. Até novembro, o partido realiza convenções regionais para eleger os novos diretórios e serão justamente essas pessoas que decidirão, na convenção nacional do partido em junho de 2010, o rumo que o PMDB tomará na eleição presidencial. A cúpula do PMDB está afinada com a cúpula petista, mas há resistências regionais.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto