Porto Alegre, domingo, 21 de dezembro de 2014. Atualizado às 19h58.
Hoje é Dia do Atleta. Hoje é Início do Verão.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
21°C
24°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,6550 2,6570 0,07%
Turismo/SP 2,4800 2,8100 0,70%
Paralelo/SP 2,4900 2,8200 0,70%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
531898
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

SÍRIA 26/03/2012 - 10h08min

Obama e Medvedev juntam forças para refrear crise síria

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que ele e seu homólogo russo, Dmitry Medvedev, concordaram nesta segunda-feira em apoiar os esforços para pôr fim ao derramamento de sangue na Síria e garantir um governo legítimo naquele país. A Síria foi um dos assuntos prioritários durante uma reunião de 90 minutos ocorrida entre os dois líderes na Coreia do Sul antes de uma cúpula nuclear, últimos passos de Medvedev transmitir o cargo a Vladimir Putin. 

Obama reconheceu, em declarações a jornalistas depois da reunião, que tinha havido divergências ao longo dos últimos meses entre EUA e a Rússia, um aliado do regime do presidente Bashar al-Assad. Mas ele disse que ambos concordaram "que deve haver apoio aos esforços de Kofi Annan para acabar com o derramamento de sangue que ocorre na Síria", e que a meta é ter um governo legítimo em Damasco. 

Antes de voar para Seul, Medvedev advertiu que Annan representa a última chance de se evitar uma guerra civil na Síria. Rússia e China apoiaram na semana passada um plano de paz do Conselho de Segurança da ONU proposto por Annan, o enviado da Liga Árabe. Nesta segunda-feira ainda, Obama se encontrou com o presidente da China, Hu Jintao, para tratar da questão que envolve o possível lançamento de um foguete de longo alcance pela Coreia do Norte, aliada da China.

Os dois presidentes estão na Coreia do Sul para a II Cúpula de Segurança Nuclear, da qual participam 53 nações, e que começa hoje. Obama disse que a situação da Coreia do Norte e do Irã é "de grande importância para os EUA. Ontem, Obama instou a China a pressionar Pyongyang com firmeza para que mude seu comportamento.  

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Ataque jihadista contra soldados sírios termina com 180 mortos, diz ONG
Mais de 200 mil pessoas morreram desde o início do conflito na Síria, em março de 2011, segundo a ONU.
Oposição síria alerta sobre crise de alimentos no país
ONU alertou no início deste ano que a colheita de trigo da Síria poderia bater um recorde de baixa entre 1,7 milhão e 2 milhões de toneladas
ONU está preocupada com segurança de civis na Síria
O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e o escritório de direitos humanos da ONU demonstraram preocupação com a segurança de civis na cidade de Kobane, na Síria
ONU diz que Síria tem mais instalações de armas químicas
A Síria declarou quatro instalações de armas químicas que não havia mencionado antes, informou Sigrid Kaag, representante especial da secretaria-geral da Organização das Nações Unidas

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto