Porto Alegre, domingo, 29 de março de 2015. Atualizado às 18h57.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
21°C
26°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,2390 3,2410 1,56%
Turismo/SP 3,1100 3,4400 1,77%
Paralelo/SP 3,1000 3,4300 1,78%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
214505
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

PETRÓLEO 21/03/2012 - 11h48min

Chambriard defende 'fiscalização inteligente' da ANP

Em seu discurso de posse, a nova diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, disse que a fiscalização não deve ser apenas coercitiva, mas se basear em dados colhidos junto às empresas e em parceria com outros agentes públicos. "Fiscalização é a parte mais visível de nosso trabalho. Queremos fazer uma fiscalização inteligente. Isso vale tanto na Exploração e Produção quanto no refino e na distribuição." Ela assume em meio à crise aberta pelo segundo vazamento de óleo provocado pela Chevron no Campo de Frade, na Bacia de Campos, que exige do Brasil um aprimoramento de sua legislação para evitar vazamentos.

Presentes ao evento, a presidente da República, Dilma Rousseff, e o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, falaram sobre o tema sem citar o nome da empresa. Dilma Rousseff afirmou que a nova diretora-geral da ANP assume num momento importante, em que a agência defende que sejam cumpridos requisitos de segurança para produção e exploração de petróleo. "Queremos todos nós que sejam cumpridas (as exigências de segurança)", disse. A presidente não citou empresas em específico.

De acordo com Dilma, as empresas de petróleo que estão e que vierem se instalar no Brasil devem estar cientes que há protocolos de segurança a serem cumpridos: "Todas as empresas, sem exceção", disse a presidente, destacando que a ANP tem um papel fundamental em fiscalizar o respeito às normas de segurança. "A ANP tem ação estratégica", completou.

Dilma também disse que Magda tem de aprofundar a regulação do etanol e assegurar a garantia e estabilidade do fornecimento. "Não pode faltar etanol no Brasil". Segundo ela, o etanol já deixou de ser commodity para ser tratado como combustível. 

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Sete Brasil afirma que lava jato ‘prejudicou’ financiamentos de longo prazo
A Sete Brasil avalia que a deflagração da Operação Lava Jato e o envolvimento de Barusco "prejudicaram a obtenção dos financiamentos de longo prazo pela Sete Brasil"
Governo adia leilão do pós-sal para fim do ano por queda do petróleo e Lava Jato
O secretário lembrou que um dos itens em análise é o valor do bônus de assinatura a ser exigido no leilão, diante dos preços do petróleo em queda
TCU determina que Petrobras mude forma de contratar serviços
Empresa deverá elaborar matriz de risco aos contratos, definindo de forma objetiva a responsabilidade das empresas contratadas
Lucro da CNOOC sobe 6,6% em 2014 apesar de queda nos preços de petróleo
A produtora informou que seu lucro líquido subiu para 60,2 bilhões de yuans, frente a 56,46 bilhões de yuans no ano anterior

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto