Porto Alegre, quinta-feira, 21 de agosto de 2014. Atualizado às 12h57.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
27°C
14°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2580 2,2600 0,13%
Turismo/SP 2,1500 2,4200 0,41%
Paralelo/SP 2,1500 2,4200 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
862717
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Mercado Financeiro 20/03/2012 - 17h47min

Notícias externas fazem Bovespa fechar em queda

A China voltou a dominar o noticiário e ditou o mau humor generalizado nos mercados acionários. A Bovespa encerrou esta terça-feira com recuo de 0,64%, aos 67.295,56 pontos. A queda das commodities pesou sobre as ações de mineradoras e siderúrgicas, que também fecharam em território negativo. As ações da Vale caíram 1,53% a ON e 0,83% a PNA.

Notícias negativas vindas da China fizeram crescer o temor em relação à desaceleração da demanda chinesa. Hoje, o que mais influenciou os investidores foram as declarações do presidente da divisão de minério de ferro da mineradora australiana BHP Billiton, Ian Ashby. Também contribuiu para o nervosismo a fala do ex-conselheiro do Banco Popular da China (PBOC, banco central chinês, na sigla em inglês) Xia Bin.

Ashby disse que a demanda da China por minério de ferro está "se achatando" e isso atingiu em cheio os preços das commodities e das moedas de países exportadores de matérias-primas. Até porque, ao mesmo tempo, houve aumento de combustíveis na China, o segundo do ano.

Já Xia disse esperar crescimento médio de 7% na economia chinesa nos próximos 5 anos. Afirmou, porém, que a taxa relativamente mais lenta de crescimento não significa que Pequim deva relaxar a política monetária. Segundo Xia, a desaceleração da economia deve levar Pequim a acompanhar os riscos no mercado imobiliário do continente. Xia disse, ainda, considerar improvável que a taxa anual de crescimento da China caia abaixo de 6%, mesmo com a desaceleração do crescimento global, dado o aumento do poder aquisitivo local.

Para o operador de Bolsa da HCommcor DTVM Rafael Dornaus, a notícia hoje é apenas uma justificativa para a realização de lucros. "Não assusta (a notícia), é um movimento de realização de lucros puxado pela notícia sobre China", disse. Segundo outra fonte, a Bolsa tende a ficar reagindo as notícias pontuais para o bem ou para mal.
No pior momento do dia, a Ibovespa atingiu a mínima de 66.704 (-1,52%) e, na máxima, 67.725 pontos (-0,01%).

Assim como os metais básicos que fecharam em queda hoje na London Metal Exchange, pressionados pela valorização do dólar no decorrer da sessão e pela aversão ao risco por parte dos investidores, as ações das siderúrgicas por aqui também amargaram quedas. A Gerdau PN (-2,19%); Metalúrgica Gerdau PN (-2,11%), Siderúrgica Nacional ON (-0,47%) e MMX ON (-1,68%).

Petrobras também seguiu o petróleo no mercado internacional e caiu. O papel ON cedeu 0,96% e o PN, 0,45%. Na Nymex, o contrato de petróleo com vencimento em abril encerrou com queda de 2,29%, a US$ 105,61 o barril.
Por outro lado, as empresas voltadas para o consumo doméstico figuraram entre os destaques de alta do Ibovespa. Cyrela ON (+3,34%), Hypermarcas ON (+3,18%), MRV ON (+2,87%) e Light ON (+2,50%).

Lá fora, não foi diferente, e os mercados acionários em Nova York também terminaram no vermelho. O índice Dow Jones fechou com queda de 0,52%, o S&P 500 caiu 0,30% e o Nasdaq, -0,14%.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Dólar mostra volatilidade, digerindo agenda externa
 No mercado de balcão, o dólar à vista estava em alta de 0,04%, cotado a R$ 2,2610, às 10h24min
Ibovespa avança com ajuda de ações da Petrobras
Às 10h45min, o Ibovespa subia 0,08%, aos 58.974 pontos, após bater a máxima de 59.207 pontos
BC vende US$ 197 milhões em contratos de swap cambial
Foram rejeitadas propostas para o vencimento de 1º de junho de 2015
Bolsas asiáticas fecham sem sentido único
Principais mercados da China operam em queda após os dados decepcionantes da atividade industrial do país

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto