Porto Alegre, quinta-feira, 21 de agosto de 2014. Atualizado às 12h57.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
27°C
14°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2580 2,2600 0,13%
Turismo/SP 2,1500 2,4200 0,41%
Paralelo/SP 2,1500 2,4200 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
857749
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

consumo Notícia da edição impressa de 30/12/2011

FCDL prevê alta de 4,5% para o varejo do Estado em 2012

Entidade vai apresentar acordos com instituições financeiras para ampliar oferta de crédito

Clarisse de Freitas

MARCELO G. RIBEIRO/JC
Para Koch, consolidação do SPC contribui para as previsões otimistas
Para Koch, consolidação do SPC contribui para as previsões otimistas

O comércio do Rio Grande do Sul deve ter um crescimento médio real de 4,5% em 2012, segundo a pesquisa de Confiança do Varejo, realizada pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-RS) entre os dias 5 e 26 de dezembro de 2011. A entidade, que ouviu 451 lojistas que atuam nos principais polos econômicos do Estado, afirma que 66,9% dos empresários estão muito confiantes.

Outros 21,6% da amostra afirmaram que estão confiantes na economia do Estado e apenas 11,6% disseram que não confiam nas projeções de bom desempenho. Os dados apontam que 79,3% dos lojistas baseiam as estimativas otimistas no aumento da oferta de crédito, que deve ser puxada pela redução dos depósitos compulsórios dos bancos (anunciada pelo Banco Central) e pelas parcerias que a FCDL deve anunciar em janeiro com entidades financeiras, que permitirão uma ampliação da oferta de crédito feita diretamente pelo varejo.

"Estamos desenhando uma parceria com o Banrisul, que deve ser apresentada na segunda quinzena de janeiro, para que os comerciantes gaúchos tenham mais vantagens no uso do Banricompras e, também, acesso ao Cartão Bndes. Outro acordo, com o banco Santander, será firmado no dia 24 de janeiro e será voltado para ações no ponto de venda e redução das taxas de operação de cartões", explicou Koch. A primeira das negociações será concretizada ainda na primeira semana de janeiro com o Badesul. "A parceria com o banco de fomento do Estado colocará recursos para investimento e capital de giro à disposição dos lojistas. Com isso, sobra mais dinheiro para financiar as compras feitas no crediário", detalhou.

Para o dirigente da FCDL-RS, o otimismo foi refletido também nas projeções de abertura de novos pontos de venda. Segundo ele, todas as redes de varejo ouvidas e muitos dos lojistas que têm até três lojas indicaram que pretendem ampliar o número de filiais em 2012 - sobretudo em expansões nas regiões onde já atuam. Entretanto, o presidente da federação negou-se a revelar o número de lojas e as cidades que devem receber mais investimentos para "não prejudicar o planejamento estratégico das empresas".

Com essas inaugurações, o volume de empregos gerados pelo comércio varejista deve subir em 2012, assim como os programas de qualificação voltados para o setor devem ser reforçados. Uma dessas iniciativas é a criação da Escola do Varejo, pela FCDL, com a oferta de treinamentos específicos para os diferentes setores do comércio e cursos de hospitalidade e atendimento. "Neste ano tivemos, pela primeira vez, a oportunidade de ter alguém da FCDL na presidência do Sebrae no Rio Grande do Sul, o que permite aproximar as entidades e ampliar a aplicação dos programas de qualificação e empreendedorismo do Sebrae no pequeno varejo", disse Koch, que também preside a divisão gaúcha do Sebrae.

Nos planos da FCDL está a ampliação do Programa Q-Comércio, que simplifica e adapta os conceitos do Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP) para o cotidiano de micro e pequenas empresas de comércio. A iniciativa, que começou a operar em maio, certificou as CDLs de Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Ijuí, Soledade e Vacaria para que elas deem o suporte necessário às 45 empresas que participam da iniciativa. A projeção, segundo o presidente da FCDL, é que no próximo ano metade das câmaras vinculadas à federação sejam integradas à iniciativa de promoção da qualidade.

Grandes redes podem retornar para o SPC a partir de janeiro, anuncia Vitor Koch

A cisão entre o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), gerido pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-RS) e a CDL de Porto Alegre, que criou a Boa Vista Serviços (BVS) provocou, em 14 de dezembro, mais que a saída de 44 Câmaras de Dirigentes Lojistas da federação. Algumas das maiores redes de varejo do Rio Grande do Sul optaram por usar o banco de dados da BVS, mesmo com filiais operando em cidades onde o comércio local permaneceu fiel à organização estadual e passou a usar o banco de dados ampliado pela parceria com a Serasa.

"Na primeira semana de janeiro, essa situação terá fim, com a volta das grandes redes gaúchas ao SPC", afirmou o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch. Ele explicou que, nos primeiros dias, é provável que as redes operem com os dois bancos de dados, mas que posteriormente fiquem só com o SPC, já que o serviço da FCDL oferece informações mais completas sobre o comércio no Interior (são 147 entidades filiadas no Estado) e também dados para as unidades que operam em Santa Catarina.

Para Koch, a consolidação do SPC ajudará a confirmar as previsões otimistas do comércio gaúcho, que estima para o setor de joalheria e ótica um crescimento entre 8% e 10% em 2012, frente aos 6% registrados em 2011.
Já o setor de móveis e eletrodomésticos, que registrou alta de 9% no mobiliário e estabilidade na venda de eletrodomésticos, estima que crescerá 5% em 2012. As papelarias e lojas de brinquedo preveem manter a expansão de 15%, já verificada em 2011, assim como o setor de autopeças deve repetir os 18% desse ano.

Ele ressaltou que no Natal de 2011 o comércio gaúcho vendeu 7,5% a mais, enquanto a média nacional foi de 2,33%. A movimentação financeira no Interior chegou a R$ 3,4 bilhões em dezembro, com maior procura por roupas, calçados, acessórios, brinquedos e perfumaria.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
SPC: medida do compulsório tem efeitos limitados
CNDL e SPC avaliam como uma "medida válida" as novas regras para depósitos compulsórios a prazo
Ministério Público gaúcho foi solicitado a colaborar com a ação
Operação identifica fraude em indústria catarinense
Brio apresenta projeto de captação comercial hoje; minishopping será aberto em dezembro
Entra em campo o plano de gestão do complexo Beira-Rio como arena
Movimento do varejo foi afetado pela realização dos jogos no Brasil
Copa puxa a retração de 3,4% nas vendas em junho

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto