Porto Alegre, segunda-feira, 01 de setembro de 2014. Atualizado às 21h51.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
18°C
22°C
12°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2370 2,2390 0%
Turismo/SP 2,0800 2,3800 0,83%
Paralelo/SP 2,0900 2,3900 0,82%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
154485
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

consumo Notícia da edição impressa de 30/12/2011

FCDL prevê alta de 4,5% para o varejo do Estado em 2012

Entidade vai apresentar acordos com instituições financeiras para ampliar oferta de crédito

Clarisse de Freitas

MARCELO G. RIBEIRO/JC
Para Koch, consolidação do SPC contribui para as previsões otimistas
Para Koch, consolidação do SPC contribui para as previsões otimistas

O comércio do Rio Grande do Sul deve ter um crescimento médio real de 4,5% em 2012, segundo a pesquisa de Confiança do Varejo, realizada pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-RS) entre os dias 5 e 26 de dezembro de 2011. A entidade, que ouviu 451 lojistas que atuam nos principais polos econômicos do Estado, afirma que 66,9% dos empresários estão muito confiantes.

Outros 21,6% da amostra afirmaram que estão confiantes na economia do Estado e apenas 11,6% disseram que não confiam nas projeções de bom desempenho. Os dados apontam que 79,3% dos lojistas baseiam as estimativas otimistas no aumento da oferta de crédito, que deve ser puxada pela redução dos depósitos compulsórios dos bancos (anunciada pelo Banco Central) e pelas parcerias que a FCDL deve anunciar em janeiro com entidades financeiras, que permitirão uma ampliação da oferta de crédito feita diretamente pelo varejo.

"Estamos desenhando uma parceria com o Banrisul, que deve ser apresentada na segunda quinzena de janeiro, para que os comerciantes gaúchos tenham mais vantagens no uso do Banricompras e, também, acesso ao Cartão Bndes. Outro acordo, com o banco Santander, será firmado no dia 24 de janeiro e será voltado para ações no ponto de venda e redução das taxas de operação de cartões", explicou Koch. A primeira das negociações será concretizada ainda na primeira semana de janeiro com o Badesul. "A parceria com o banco de fomento do Estado colocará recursos para investimento e capital de giro à disposição dos lojistas. Com isso, sobra mais dinheiro para financiar as compras feitas no crediário", detalhou.

Para o dirigente da FCDL-RS, o otimismo foi refletido também nas projeções de abertura de novos pontos de venda. Segundo ele, todas as redes de varejo ouvidas e muitos dos lojistas que têm até três lojas indicaram que pretendem ampliar o número de filiais em 2012 - sobretudo em expansões nas regiões onde já atuam. Entretanto, o presidente da federação negou-se a revelar o número de lojas e as cidades que devem receber mais investimentos para "não prejudicar o planejamento estratégico das empresas".

Com essas inaugurações, o volume de empregos gerados pelo comércio varejista deve subir em 2012, assim como os programas de qualificação voltados para o setor devem ser reforçados. Uma dessas iniciativas é a criação da Escola do Varejo, pela FCDL, com a oferta de treinamentos específicos para os diferentes setores do comércio e cursos de hospitalidade e atendimento. "Neste ano tivemos, pela primeira vez, a oportunidade de ter alguém da FCDL na presidência do Sebrae no Rio Grande do Sul, o que permite aproximar as entidades e ampliar a aplicação dos programas de qualificação e empreendedorismo do Sebrae no pequeno varejo", disse Koch, que também preside a divisão gaúcha do Sebrae.

Nos planos da FCDL está a ampliação do Programa Q-Comércio, que simplifica e adapta os conceitos do Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP) para o cotidiano de micro e pequenas empresas de comércio. A iniciativa, que começou a operar em maio, certificou as CDLs de Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Ijuí, Soledade e Vacaria para que elas deem o suporte necessário às 45 empresas que participam da iniciativa. A projeção, segundo o presidente da FCDL, é que no próximo ano metade das câmaras vinculadas à federação sejam integradas à iniciativa de promoção da qualidade.

Grandes redes podem retornar para o SPC a partir de janeiro, anuncia Vitor Koch

A cisão entre o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), gerido pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-RS) e a CDL de Porto Alegre, que criou a Boa Vista Serviços (BVS) provocou, em 14 de dezembro, mais que a saída de 44 Câmaras de Dirigentes Lojistas da federação. Algumas das maiores redes de varejo do Rio Grande do Sul optaram por usar o banco de dados da BVS, mesmo com filiais operando em cidades onde o comércio local permaneceu fiel à organização estadual e passou a usar o banco de dados ampliado pela parceria com a Serasa.

"Na primeira semana de janeiro, essa situação terá fim, com a volta das grandes redes gaúchas ao SPC", afirmou o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch. Ele explicou que, nos primeiros dias, é provável que as redes operem com os dois bancos de dados, mas que posteriormente fiquem só com o SPC, já que o serviço da FCDL oferece informações mais completas sobre o comércio no Interior (são 147 entidades filiadas no Estado) e também dados para as unidades que operam em Santa Catarina.

Para Koch, a consolidação do SPC ajudará a confirmar as previsões otimistas do comércio gaúcho, que estima para o setor de joalheria e ótica um crescimento entre 8% e 10% em 2012, frente aos 6% registrados em 2011.
Já o setor de móveis e eletrodomésticos, que registrou alta de 9% no mobiliário e estabilidade na venda de eletrodomésticos, estima que crescerá 5% em 2012. As papelarias e lojas de brinquedo preveem manter a expansão de 15%, já verificada em 2011, assim como o setor de autopeças deve repetir os 18% desse ano.

Ele ressaltou que no Natal de 2011 o comércio gaúcho vendeu 7,5% a mais, enquanto a média nacional foi de 2,33%. A movimentação financeira no Interior chegou a R$ 3,4 bilhões em dezembro, com maior procura por roupas, calçados, acessórios, brinquedos e perfumaria.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Consumo das famílias sobe 0,3% no 2º trimestre, diz IBGE
Na comparação com o segundo trimestre de 2013, o consumo das famílias mostrou alta de 1,2%
Seis em cada 10 famílias gaúchas possuem algum tipo de dívida
O percentual de famílias com dívidas no Rio Grande do Sul em agosto diminuiu em relação ao mesmo mês do ano passado
Campanha com premiações para aquecer negócios no varejo ocorre no período de 1 a 30 de setembro
Ações buscam estimular as vendas em setembro
Expectativa do consumidor piora em agosto, diz CNI
Recuo de 1,1% reverte parte da melhora observada em julho ante os meses anteriores, quando atingiu 113,9 pontos

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto