Porto Alegre, quarta-feira, 26 de novembro de 2014. Atualizado às 23h35.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
24°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,5350 2,5370 0,47%
Turismo/SP 2,3900 2,7000 0,37%
Paralelo/SP 2,4000 2,7100 1,11%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
625195
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Repórter Brasília Edgar Lisboa
edgarlisboa@jornaldocomercio.com.br

Repórter Brasília

Coluna publicada em 19/12/2011

Vaccarezza antecipou

A presidente Dilma Rousseff (PT) anunciou que não haverá reforma ministerial no início de 2012. Quem leu o Jornal do Comércio do dia 23 de novembro não se surpreendeu com o anúncio da presidente.

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (PT-SP), nos antecipou em entrevista que não haveria a tão comentada mudança na Esplanada dos Ministérios.

“Nunca ouvi da presidente Dilma que ela fará reforma do ministério em janeiro. Só ouvi essa notícia na imprensa, de pessoas desinformadas. Não apostaria minhas fichas em reforma ministerial em janeiro”, disse o líder naquele momento.

Agora, 24 dias depois, Dilma Rousseff confirma o que havia adiantado o parlamentar. “Vocês vivem falando que vai haver reforma ministerial, mas ninguém me perguntou. Vão ficar surpresos: a resposta é ‘não’. Não venham com essa conversa de reforma. Não vai haver enxugamento da máquina, não é isso que faz a diferença no governo”, afirmou a presidente Dilma Rousseff, confirmando o que havia antecipado o líder Vaccarezza.

Concessões em bloco

Neste final de ano, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados correu para aprovar concessões de radiodifusão. Só na reunião do dia 15 de dezembro, foram aprovados 83 pedidos de renovação ou autorização para o funcionamento de rádios ou canais de TV. “É praxe da comissão votar esses pedidos em bloco”, explicou o deputado federal gaúcho Vieira da Cunha, do PDT. Segundo ele, quando essas solicitações chegam à CCJ, já foram avaliadas pelo Executivo e já estão “pré-aprovadas”. Mas Vieira diz tomar um cuidado a mais. “Normalmente, vejo se a rádio existe mesmo.”

Rádios no Estado


No Rio Grande do Sul, foram aprovadas concessões de rádios para: Associação Cultural de Paulo Bento (Paulo Bento), Associação Liberdade de Cultura e Comunicação (Seberi), Empresa de Comunicação Internacional (Vila Maria), Associação Cultural, Comunitária e Social Auriense (Áurea), Ezr Comunicações (Passo do Sobrado), Fundação José de Paiva Netto (Esteio), Associação de Radiodifusão Comunitária Pampeana do Bairro Martinica (Viamão), Rádio Cultura de Gravataí (Gravataí), Rádio Cultura de Arvorezinha (Arvorezinha), Associação Comunitária e Cultural de Comunicação do Chuí (Chuí), Rádio FM Clube Um (Tupanciretã), Plus Radiodifusão (Xangri-Lá), Camargo e Vassali - Empresa de Radiodifusão (Campinas do Sul), Empresa de Comunicação Princesa do Vale (São Pedro do Sul).

Elite parlamentar


A edição 2011 do estudo “Elite Parlamentar” divulgada em dezembro classifica 105 parlamentares como os mais influentes e importantes do Congresso Nacional na atualidade. São 64 deputados federais e 41 senadores. A pesquisa é realizada pela consultoria política Arko Advice. Entre os gaúchos, são sete deputados - Darcísio Perondi (PMDB), Henrique Fontana (PT), Luis Carlos Henrize (PP), Manuela d’Ávila (PCdoB), Marco Maia (PT), Onyx Lorenzoni (DEM), Pepe Vargas (PT) - e dois senadores, Pedro Simon (PMDB) e Paulo Paim (PT). Faltou no estudo da Arko Advice mostrar a atuação da nova senadora gaúcha, Ana Amélia Lemos (PP).

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Meia dúzia que sai ganhando
O trigo está apresentando uma matemática bizarra, que consegue ao mesmo tempo pagar menos ao produtor e cobrar mais do consumidor
Veto aos municípios
Deputados e senadores deverão se reunir nesta terça-feira para apreciar 38 vetos presidenciais
Combate continental à corrupção
O Brasil quer levar para outros países da América Latina e do Caribe experiências no combate à corrupção
Tumulto no superávit
Foi uma vitória do governo, mas uma vitória de pirro. Tanto que, pouco tempo depois, a mesma comissão concordou em votar o mesmo projeto novamente, numa data a ser marcada

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto