Porto Alegre, domingo, 20 de abril de 2014. Atualizado às 11h35.
Hoje é Páscoa.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
27°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2340 2,2360 0,26%
Turismo/SP 2,1200 2,3600 0%
Paralelo/SP 2,1400 2,4100 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
132165
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Magistério 18/11/2011 - 16h07min

Professores do Estado decidem iniciar greve na segunda-feira

Fotos JOÃO MATTOS/JC
Em assembleia conduzida pela  presidente do Cpers, Rejane de Oliveira, categoria votou pela greve
Em assembleia conduzida pela presidente do Cpers, Rejane de Oliveira, categoria votou pela greve

Atualizado às 17h40

Os professores da rede pública estadual decidiram, nesta sexta-feira (18), iniciar uma greve por tempo indeterminado. Em assembleia realizada hoje, no Ginásio Gigantinho em Porto Alegre, a categoria votou pelo início imediato da paralisação, que tem efeitos práticos a partir da próxima segunda-feira (21). Faltavam apenas 25 dias para o término do ano letivo no Rio Grande do Sul.

Os professores têm como principal reivindicação a implementação imedita do piso salarial do magistério, de R$ 1.187 para 40 horas. Além disso, a categoria repudia a reestruturação do ensino médio e os projetos que reformam os planos de carreira do magistério.

Ao longo dessa semana, nas assembleias regionais pelo Rio Grande do Sul, 29 dos 42 núcleos do Cpers/Sindicato já haviam aprovado o indicativo de greve a partir da assembleia geral. Somente seis núcleos votaram por não paralisar, outros cinco núcleos optaram pela greve a partir de março e dois núcleos decidiram acatar a decisão da assembleia geral.

Na quinta-feira, o Governo do Estado anunciou um acréscimo de R$ 100 milhões para a categoria no texto do orçamento de 2012. Deputados da base aliada assinaram uma nota apelando para que a categoria não entrasse em greve. Para mais informações, leia a nota Base aliada de Tarso pede paciência aos professores do Estado.

Após a assembleia, os manifestantes iniciaram uma marcha pela avenida Borges de Medeiros, em direção ao Palácio Piratini.

Professores saíram em passeata pela avenida Borges de Medeiros

COMENTÁRIOS
Alexandre Gabbi - 18/11/2011 - 16h32
É a briga entre a esquerda burocrata e esquerda raivosa. Quanto a voltar aos mesmos níveis que a educação pública apresentava na década de 60 do século passado, ninguém discute. Os professores estão provando o veneno de apoiar o candidato petista de 2010 e o governo petista o veneno de se aliar a esquerda pitbull


Andressa Portela Rodrigues -
18/11/2011 - 16h38
Estou a favor da greve neste exato momento. Se não existissem professores nenhuma pessoa teria formação, nem diploma para trabalhar. Eles devem ter um salário digno, e já foi decretado faz tempo o piso salarial e o governo não quer pagar. Além disso, esse novo ensino medio quer aumentar a carga horário de serviço dos professores, mas não quer dar aumento de salário, onde já se viu isso?!? Quer que o aluno aprenda uma profissão na escola, mas o governo não vai investir nada em aparelhos de computação, de laboratórios, os alunos não tem nem papel higiênico nos banheiros das escolas, tem aulas em salas com goteiras, e ainda quer mudar o ensino? Devia investir dinheiro na educação, e não nos explorar, porque é isso que está acontecendo. Querem que os professores trabalhem sem aumento de remuneração, e que os alunos virem mão de obra barata. GREVE JÁ!


Rosalino Caon -
18/11/2011 - 17h07
Governador que não cumpre Leis, deve sair, porque não possui competência para administrar a máquina pública. Não pagou as promoções dos professwores aposentados que em 2002 estavam na ativa. O que nós queremos com um governo desses?


Jeferson Santos -
18/11/2011 - 17h19
Como estudante sou extremamente CONTRA a greve dos professores. Querem reivindicar seus direitos? Tudo bem! Apoio! Mas desde que outras pessoas não saiam prejudicadas! Os alunos nessa história são os mais prejudicados. Quando decidiram ser professores sabiam que o salário não era tão bom assim, agora entraram nessa paranóia de greve... Por favor professores! Pensem na educação do nosso estado! E os vestibulandos? Como ficam? E como assim por tempo indeterminado? Será que teremos que recuperar lá em janeiro essas aulas perdidas? Com certeza né! Assim teremos que ficar no verão de quarenta graus estudando... E as férias? Nem pensam nisso né?! Caso consigam o reajuste de salário terão pelo menos algo que pague (literalmente) este tempo perdido não é? Mas os alunos? Ah! Desculpe! Como sempre não possuem o direito de se manifestar!!!


Rosalino Caon -
18/11/2011 - 17h23
Governador que não cumpre Leis, deve sair, porque não possui competência para administrar a máquina pública. Não pagou as promoções dos professores aposentados que em 2002 estavam na ativa. O que nós queremos com um governo desses? Todos os Governos anteriores, acharam bonito não cumprir as Leis, com Esse parece não ser diferente.Falta de dinheiro é desculpa, para não aplicar na Educação. Com a implantação do Piso Nacional, acabarão com as greves e o Governo sairá fortalecido, mas quer confronto...Vamos aguardar...


Maria de Paula -
18/11/2011 - 19h08
Como não apoiar essa greve dos professores? Como pais e sociedade não temos outra saída. Como apostar na qualidade do ensino dos nossos filhos, se a peça fundamental está descontente? Pagar o piso é a solução pq todos os professores terão os mesmos salários e como dizem dignos. Então Governador pague e vamos acabar com esse problema pq dai o piso é Nacional.


Caetano Petry -
18/11/2011 - 21h52
Sou contra, a qualidade do ensino público é péssima, eu estudei a vida inteira em escola pública e minha mãe é professora. Acho que pela qualidade do ensino está bem pago se estivessem em empresa privada 90% estaria na rua, são muito incompetentes, só reclamam e descontam nos alunos que infelizmente tem pais que pagam impostos e não recebem pelo que pagam.....acho que deveria acabar a estabilidade para melhorar o quadro funcional que é e sempre foi deplorável


Caetano Petry -
18/11/2011 - 21h55
Na iniciativa privada no máximo férias de 20 dias e magistério ganha para não trabalhar 3 meses


Roni DallÌgna -
18/11/2011 - 22h27
Gostaria muito que um pol[itico fosse a uma loja, ou mercado e tentasse comprar uma mercadoria com "paciência"ou com "compreensão"e solicitar ao empresário para que aguarde pacientemente, por 3 anos para receber pelo bem vendido...


WALTER RODRIGUES -
19/11/2011 - 06h03
A greve neste momento não terá apoio da maioria dos professores. Foi um capricho da direção do CPERS que joga o magistério numa aventura destinada ao fracasso, tal como aconteceu no final dos anos de 2008 e 2009.


rejane souza -
19/11/2011 - 10h50
SITUAÇÃO LAMENTAVEL!!! NENHUM E NEM OUTRO RESPEITAM OS ALUNOS!!!


Rodrigo -
19/11/2011 - 12h29
NÃO TRATA-SE DE DIREITA, ESQUERDA, COISA QUE ESTUDANTE NEM SABE MAIS O QUE SIGNIFICA. EMBORA HAJA IDEOLOGIA, COMO EM TODOS OS DISCURSOS, O MAIS PREEMENTE E DEVERAS SÉRIO É O FATO DE O SUPREMO DETERMINAR O CUMPRIMENTO DA LEI E, O GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, SE NEGAR A CUMPRIR DETERMINAÇÃO LEGAL. ORA, DEIXEM, ESTUDANTES, DE PUXAR O SACO DA IMPRENSA MARROM E PENSEM COM SUA PRÓPRIA CABEÇA - COMO SEMPRE, VOCÊS SÃO MANIPULADOS PELA MÍDIA BABACA QUE DEFENDE SEMPRE O INTERESSE DA CLASSE DOMINANTE. ESTUDANTE INTELIGENTE DEFENDE A CLASSE A QUE PERTENCE.


Daniela Costa -
19/11/2011 - 12h52
A greve é por uma boa causa,pois o que o tARSO QUER IMPLANTAR É RIDÍCULO,MAS ESTOU NO 3º ANO DO MÉDIO,E ISSO VAI NOS PREJUDICAR E MUITO,TEMOS UM VESTIBULAR PARA CURSAR DIA 11/12...TEMOS NOSSA FORMATURA MARCADA....COMO FICAMOS?


Rosani Hubner -
19/11/2011 - 12h56
Simples mesmo!!!Todos unidos, professores e comunidade em geral, apoio total,BOM SENSO, e resolve-se de vez! BOM para todos! Se o piso revindicado fosse o dobro ainda seria justo...


Verônica -
19/11/2011 - 13h04
Sou contra a greve, acredito que os alunos serão prejudicados, inclusive no vestibular, penso que existe outras maneiras de reivindicar salário justo, definitivamente a greve não é uma delas. Os professores se desmoralizam em pedir um valor e voltarem da greve por 10% do que foi requerido. Acredito que se o ponto for cortado não haverá greve.


Miesco Gdynski -
19/11/2011 - 14h10
São esses professores que estão ensinando os nossos filhos e netos, não só as lições de aula, mas, também comportamento. Esquecem esses "mestres" que na eleição anterior colocaram uma governadora que não lhes deu nada em troca, e ainda por cima mandou a brigada baixar a lenha nos manifestantes. Votaram mal, agora querem que o novo governador lhes pague o que nunca receberam. O déficit do estado, que diziam estar com as contas em dia tinha um rombo de mais de R$ 40 bilhões. O que querem que os pais paguem os seus salários, através de novos impostos?


guilherme -
19/11/2011 - 14h40
sou a favor os professores estão lutando a favor das escolas e de seu salario ...


Louise -
19/11/2011 - 17h12
O governo no Brasil está em situação lamentável, e é verdadeiramente revoltante o que acontece com o corpo docente. Mas não foi agora que os professores descobriram como a situação está ruim, e resolvem paralizar faltando menos de um mês para o ano letivo terminar. Ninguém vê que há dois lados. E quem tem vestibular a prestar? Entendo o lado dos funcionários, mas honestamente é uma sacanagem querer consertar tudo agora, em cima da hora.


Aline -
20/11/2011 - 00h12
e os alunos? qual eh a alternativa? Perder um ano sem ter rodado, qm tinha a intenção de fazer uma faculdade vai ter q esperar mais tempo. Ok, sei que o governo não cumpre seus deveres,mas pq n começaram essa greve no começo do ano??


celia gonçalves -
20/11/2011 - 09h50
Isso é um abuso contra os professores concordo,mas tmb devem pensar o quanto isso irá prejudicar os alunos,portanto façam a greve ano q vem com mais estrutura.


daniel -
20/11/2011 - 17h30
olha como estudante do magiatério comcordo plenamente com a greve::::


Ana -
20/11/2011 - 19h05
Lamentável o ensino publico.sou totalmente contra a greve , todos nós trabalhadores estamos com o salario muito abaixo. Mais se muitos entram em greve estamos na rua,alem disso não tenho 3 meses de ferias e muitas regalias


Fábio -
20/11/2011 - 19h27
Completamente a favor da greve. Acredito que não somente os professores, mas todos os outros profissionais que almejam ter um salário de acordo com a profissão que exercem devem protestar e largar de vez o conformismo.


ALESANDRO ANTUNES RIBEIRO -
20/11/2011 - 21h30
E GREVE NELES POIS SAO OS PROFESSORES ,RESPONSABILIZADOS PELA QUALIDADE DA EDUCACAO ,SO SE LEMBRAN DE ALGUMAS CATEGORIAS DE TRABALHADORES NESSAS HORAS, ESTAMOS CHEGANDO AO PONTO DE QUE EXERCER UM DIREITO E CRIME ,AS PESSOAS SO OLHAM PARA O PROPRIO UMBIGO.FEZ A LEI AGORA TENS QUE CUMPRIR ,FORCA E ATE A VITORIA


RobsonAlexandre Brenzink -
23/11/2011 - 07h59
Um dos pontos cruciais desta greve, é que o governo deseja de forma arbitrária implantar projetos que retiram direitos dos educadores. o secretário afirma ter copiado o prejeto da Coréia mas não copiou o salário, lá a média salarial dos professores é de 5000 dólares. sem falar na cultura do povo que está 3000 anos a frente.O fato é que o governo não apresentou nenhuma proposta para os professores. Sim!!! nenhum... Pois proposta feita pelo governo deve ser feita PRETO no BRANCO com o timbre do estado e não com conversinhas. O governo sabe que o estado não fala o estado escreve e oque não esta no papel, para o governo, não tem valor. E a ultima palavra dada pelo governador não foi cumpridada agora os professores querem por escrito uma proposta.


Marcelo -
17/03/2012 - 12h10
Sou a favor da greve, se nem nosso políticos cumprem a lei, porque nós deveriamos cumprir??? #FORATARÇO


JOAO DA SILVA -
02/11/2012 - 22h59
"Na iniciativa privada no máximo férias de 20 dias e magistério ganha para não trabalhar 3 meses"? acho que deveria acabar a estabilidade para melhorar o quadro funcional que é e sempre foi deplorável ? WUW INDIVÍDUO QUE POSTOU ESSAS AFIRMAÇÕES É MUITO PUERIL E B..B..C..

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
MAIS TEXTOS DE Magistério

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto