Porto Alegre, sexta-feira, 01 de agosto de 2014. Atualizado às 10h46.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
20°C
27°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2650 2,2670 0,35%
Turismo/SP 2,0900 2,4400 1,24%
Paralelo/SP 2,1000 2,4500 1,23%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
101898
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira
adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 24/10/2011

O ministro e o abismo

Mesmo que a presidente Dilma Rousseff (PT) tenha “prestigiado” Orlando Silva (PCdoB), a posição do ministro do Esporte é insustentável. É aquela velha história que a mulher de César “não basta ser, há que parecer ser”. Para a opinião pública brasileira, o ministro já não parece mais honesto. E pra Fifa, também. A poderosa entidade internacional - envolvida em acusações de corrupção - está a exigir do governo brasileiro a troca de interlocutor. Eu lembro que no dia em que foram feitos sorteios importantes sobre as duas copas, o governo brasileiro não tinha representante na sede da Fifa, em Zurique, Suíça. Aqui no Brasil, naquele dia, Orlando Silva passou por constrangimentos irremediáveis. Mas, por sugestão de seu padrinho político, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), resistiu. Lula disse a Orlando, por telefone: “Você tem que ter tutano e enfrentar todo mundo para se manter no cargo.” E assim foi feito. Não se sabe, porém, se esta nova interferência de Lula no governo Dilma teve o efeito de um “para-te quieto” na presidente, antes, tão disposta a defenestrar o “incômodo” Orlando Silva.
Mas, ao que tudo indica a permanência dele, no ministério de Dilma, não é uma questão fechada. O ministro do Turismo continua à beira do abismo. Dilma costuma ir com seus comandados, quando as circunstâncias exigem, até a beira do abismo. É de seu estilo. De lá, ela volta. E eles? Bem, eles se jogam. Na hora H, Lula segurou Orlando Silva.

PROCESSO O PCdoB, disposto a manter o Ministério do Esporte, usou o espaço político dos partidos nas redes de televisão, para mostrar Orlando Silva, se defendendo. Com isso, acabou violando a lei eleitoral. O PCdoB deve ser processado por isso.

Bola cheia

O PSD, o partido do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, pode até não formar bons quadros, mas na certa terá um time de futebol invejável. Atuarão no PSD Futebol Clube o ex-goleiro e deputado federal, Darnlei de Deus, o ex-centroavante e também deputado Romário e o segundo atacante e deputado estadual do Rio, Bebeto Chorão. O PSD vai jogar um bolão!

Ajustes

O presidente da Câmara dos Deputados, o gaúcho Marco Maia (PT), irritou os seus colegas deputados ao cancelar o serviço eletrônico de clipagem (resumo de notícias publicadas na imprensa). Com a chiadeira, Maia voltou atrás e determinou o retorno do serviço. Antes, vai fazer ajustes na equipe de Comunicação da Casa.

Proteção

Na próxima quinta-feira, às 16h30min, no salão Alberto Pasqualini do Palácio Piratini, o governo do Estado anunciará uma série de políticas públicas de atendimento e proteção às comunidades indígenas nas áreas de saúde, educação e habitação, e a indenização e implementação da titulação das terras para os agricultores de áreas já demarcadas durante o governo Olívio, nos municípios de Serrinha, Nonoai e Montes Caseiro.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Perda de um amigo e jornalista exemplar
O titular desta coluna, o companheiro e amigo Adão Oliveira, morreu ontem
PTB versus PSB
O governador Tarso Genro (PT) teve baixas ao longo do seu governo. Dois partidos que integraram sua base aliada deixaram de apoiá-lo: PSB e PDT
O recado do “guardião”
Após longo impasse, comissões aprovaram relatório do senador Luiz Henrique sobre o projeto de lei que estabelece novo indexador para as dívidas dos estados com a União
Cristãos novos do PDT
Depois de 20 anos, o PDT volta a ter reais chances de vencer uma disputa majoritária estadual

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto