Porto Alegre, quinta-feira, 21 de agosto de 2014. Atualizado às 10h59.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
17°C
27°C
14°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2610 2,2630 0%
Turismo/SP 2,1400 2,4100 0,83%
Paralelo/SP 2,1500 2,4200 1,25%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
226555
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira
adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 09/03/2011

Só com as tartarugas

O Brasil está parado nesses últimos dias. O País começa agora, depois do Carnaval, a se reorganizar. Para os novos governantes, esta Quarta-Feira de Cinzas marca o fim da trégua concedida pela oposição.

Agora é pra valer!

Começam as cobranças aqui e em Brasília. Ainda que Dilma Rousseff (PT) e Tarso Genro (PT) tenham praticamente cooptado toda a oposição, ainda existem parlamentares dispostos a exercê-la com a maior dignidade.

Mas isso é a partir de amanhã.

Hoje, pouco ou quase nada se fala de política. A não ser o descanso da presidente Dilma Rousseff no hotel de trânsito do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, no Rio Grande do Norte.

Os jornalistas de plantão por lá não conseguiram falar, sequer fotografar a chefe do governo. Dona Dilma, como é de seu estilo, manteve-se em total isolamento. O local passou o feriadão fechado para visitantes - o centro é um ponto turístico protegido por mar e também por terra.

O espaço aéreo foi fechado, para evitar qualquer sobrevoo ao local. Ninguém que não estivesse na escala de trabalho do centro pôde entrar na área militar. Os que entraram tiveram que deixar os celulares para evitar que qualquer imagem da presidente fosse divulgada.

A presidente foi para lá para descansar. É justo, muito justo, justíssimo.

Mas ela está sendo muito criticada por isso. Os críticos não entendem que ela saiu de uma campanha duríssima e, logo depois, assumiu o governo. Uma desligada não faz mal a ninguém.

Uma freira, presidente da Casa do Menor Trabalhador, tentou por 40 minutos convencer a segurança do centro a lhe deixar conversar com Dilma. Como não teve sucesso, saiu do local irritada e sem dar entrevistas. Imaginem...

Também um atleta foi barrado na portaria da Barreira do Inferno. Ele pretendia conversar com a presidente sobre a campanha para ajudar crianças com câncer. Os dois bem que podem conversar com os ministros da Saúde e do Trabalho.

Cá entre nós, ninguém precisa se reunir com a presidente para isso. É factoide. Puro factoide!
Ah! Surgiram críticas pelo fato de, na base, não permitirem máquinas fotográficas e afins. Queriam o quê? Invadir a privacidade da presidente e espalhar - ou vender - fotografias de Dilma de maiô?

Isso é um desrespeito!

Além do mais, a instituição Presidência da República não deve ser exposta desta maneira. A preservação de autoridade deste nível traz respeito e confiabilidade aos países por eles governados.

Quando o recato não é observado - vejam o caso do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, - o país fica desmoralizado na comunidade internacional.

O fato de La Rousseff deixar-se fotografar levando tartarugas ao mar é um exemplo de respeito ao Brasil e ao mundo.

Tributo a Leonel Brizola

Os 50 anos da Campanha da Legalidade, em agosto, serão lembrados em uma série de atividades por diversas instituições públicas gaúchas. Mas 2011 marca também 60 anos do início da vida pública de Leonel de Moura Brizola. E o Memorial do Rio Grande do Sul faz uma justa homenagem ao líder maior do PDT, através de uma exposição narrando a trajetória política do ex-governador, falecido em 2004. A mostra fica em cartaz até 31 de março.

COMENTÁRIOS
Sergio - 09/03/2011 - 14h21
Bela matéria, resgatando uma coisa chamada privacidade, parabens, não melhora que estraga. Não votei nela, mas agora ela é a PRESIDENTE de todos os brasileiros.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Perda de um amigo e jornalista exemplar PTB versus PSB
O governador Tarso Genro (PT) teve baixas ao longo do seu governo. Dois partidos que integraram sua base aliada deixaram de apoiá-lo: PSB e PDT
O recado do “guardião”
Após longo impasse, comissões aprovaram relatório do senador Luiz Henrique sobre o projeto de lei que estabelece novo indexador para as dívidas dos estados com a União
Cristãos novos do PDT
Depois de 20 anos, o PDT volta a ter reais chances de vencer uma disputa majoritária estadual

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto