Porto Alegre, quinta-feira, 23 de outubro de 2014. Atualizado às 12h24.
Hoje é Dia da Aviação e do Aviador.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
28°C
16°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,5020 2,5040 0,96%
Turismo/SP 2,3500 2,6800 0,37%
Paralelo/SP 2,3500 2,6800 0,37%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
156435
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira
adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 18/02/2011

Ainda o aborto

Editoria Política com Agência Folhapress

No primeiro encontro com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) após a polêmica em relação ao aborto durante a campanha eleitoral, a presidente Dilma Rousseff (PT) foi poupada de cobranças em relação ao tema.

Segundo o presidente da entidade, dom Geraldo Lyrio Rocha, o assunto não foi tratado no encontro realizado nesta quinta-feira no Palácio do Planalto. Durante a campanha, um braço da CNBB, a Regional Sul 1, chegou a distribuir panfletos pregando voto contrário a quem defende a descriminalização do aborto e fazendo críticas ao PT.

A polêmica, que passou a nortear a disputa entre Dilma e José Serra (PSDB) no segundo turno, levou a então candidata petista a prometer que, se eleita, não proporia “alterações de pontos que tratem da legislação do aborto”. Hoje, o aborto é permitido apenas em casos de estupro e risco de vida para a mãe.

De acordo com o arcebispo, ele levou uma pauta de “preocupações” da CNBB relativas às reformas política e agrária e às mudanças no Código Florestal, além de propostas de parcerias para a erradicação da miséria e em trabalhos sociais voltados a portadores do vírus HIV, dependentes de drogas e deficientes físicos.

O secretário-geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, que também participou da audiência com Dilma, contou ter se reunido na quinta-feira, a convite da CNBB, com a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário (PT).

Segundo Barbosa, o Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) foi abordado. Na primeira versão do plano, posteriormente alterada, a descriminalização do aborto estava presente. No entanto, dom Dimas disse que a questão do aborto não foi objeto de discussão específica.

“Me parece que esse tema (aborto) já foi encerrado durante a campanha”, disse o bispo.

Presídio

O governador Tarso Genro (PT) informou nesta quinta-feira, durante entrevista no programa de rádio Conexão Band, apresentado por Gustavo Mota, que o presídio de Canoas vai sair do papel com uma Parceria Público- Privada (PPP). Quem deve estar contente é o prefeito de Canoas, o também petista Jairo Jorge.

Presídio II

Mas a PPP terá uma nova proposta, em que o Estado será o responsável por cuidar do cumprimento da pena dos detidos. A Procuradoria-Geral do Estado ainda analisa o caso.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Perda de um amigo e jornalista exemplar PTB versus PSB
O governador Tarso Genro (PT) teve baixas ao longo do seu governo. Dois partidos que integraram sua base aliada deixaram de apoiá-lo: PSB e PDT
O recado do “guardião”
Após longo impasse, comissões aprovaram relatório do senador Luiz Henrique sobre o projeto de lei que estabelece novo indexador para as dívidas dos estados com a União
Cristãos novos do PDT
Depois de 20 anos, o PDT volta a ter reais chances de vencer uma disputa majoritária estadual

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto