Porto Alegre, quarta-feira, 22 de outubro de 2014. Atualizado às 00h38.
Hoje é Dia do Enólogo.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
16°C
29°C
17°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,4750 2,4770 0,52%
Turismo/SP 2,3400 2,6400 0,76%
Paralelo/SP 2,3500 2,6500 0,76%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
100343
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira
adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 03/01/2011

Lula é história

Brasília - “Nunca antes na história desse País” um presidente (a) havia beijado a bandeira brasileira ao passar em revista as tropas posicionadas em sua homenagem, no dia da posse.

A ex-guerrilheira Dilma Rousseff, “a presidenta de todos os brasileiros”, beijou. Foi um gesto emocionado e de profundo simbolismo! Minutos antes, no plenário da Câmara dos Deputados, perante o Congresso Nacional, Dilma havia feito um vigoroso discurso.

Foi uma verdadeira carta de princípios, entremeada de sonhos como ela reconhece: “Sonhar e perseguir os sonhos é romper o limite do possível”, explicou mais tarde, no discurso feito do Parlatório presidencial, para mais de 30 mil pessoas, que se reuniram em frente ao Palácio do Planalto para ouvi-la.

No Congresso, a chegada da presidente foi tumultuada. Os parlamentares, na ânsia de cumprimentá-la, arranharam o protocolo, deixando o pessoal do cerimonial ouriçado. Vestindo um impecável “tailleur” branco e bem penteada, La Rousseff ficou toda amassada e com os cabelos em desalinho, tal o número de apertos e beijinhos que recebeu, da “tiurma” pouca afeita às coisas do protocolo.

Gafes, muitas gafes!

Mas o discurso foi tudo de bom. Levados à risca, os compromissos assumidos pela presidente farão do Brasil a “Pátria dos Sonhos”.

Dona Dilma abriu seu discurso dizendo que, “pela primeira vez a faixa presidencial cingirá o ombro de uma mulher”, para em seguida comunicar - com a voz embargada - que vai proteger os mais fracos e governar para todos. Prometeu reformas: política e tributária, antecipando que vai perseguir a erradicação da pobreza extrema e criar oportunidades para todos.

Dilma Rousseff não se esqueceu da imprensa, tão ameaçada com a volta da censura. Ela repetiu a promessa feita na campanha política: “Eu prefiro o barulho da imprensa livre do que o silêncio das ditaduras”.

Um momento forte do discurso da presidente no Congresso, repetido no Parlatório, foi quando “en passant” tocou no lado delicado de seu passado de guerrilheira.

Disse emocionada: “Minha geração lutou pela liberdade em tempos escuros - lágrimas -, não me arrependo. Foi a nossa contribuição para as futuras gerações. Muitos companheiros tombaram nessa luta. A eles, minha comovida homenagem e minha eterna lembrança”.

No Parlatório, antes de receber os cumprimentos das delegações estrangeiras, ela reconheceu que a alegria de sua posse se confundia com a tristeza da despedida de Lula. Lula que sumiu do Parlatório, desceu a rampa do Planalto e voltou para os braços do povo.

Como queria!

A vez de Sofia

Em meio ao rescaldo da posse de Dilma Rousseff na presidência da República e de Tarso Genro no Palácio Piratini, ministros e secretários de Estado participam de cerimônias de transmissão do cargo hoje. Também será a vez de a vereadora Sofia Cavendon (PT) assumir a presidência da Câmara Municipal de Porto Alegre. A solenidade acontece às 14h, no plenário do Legislativo da Capital.

COMENTÁRIOS
Henrique - 03/01/2011 - 09h37
Lula - 8 anos perdidos, sem melhoria na infraestrutura, aumento na dívida do Brasil, sem reformas, muitas despesas, arrogância, incentivo aos atuais e futuros incultos. Rogamos ao céu que ele se cale e que o Brasil passe a viver uma era melhor.


Paulo Oliveira -
03/01/2011 - 12h54
Henrique o que tu e mais 2% da população brasileira queriam é o que o Brasil igual aos últimos 60 anos de governos que nos retiram as condições de sermos uma potencia mundial, governos aos quais voces idolatram. Infelizmente Lula, o maior de todos, começou a dar um futuro a nosso Brasil, e isso voces não aceitam e não perdoam. Infelizmente voces não passa de "meia dúzia" de recalcados enrustidos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Perda de um amigo e jornalista exemplar PTB versus PSB
O governador Tarso Genro (PT) teve baixas ao longo do seu governo. Dois partidos que integraram sua base aliada deixaram de apoiá-lo: PSB e PDT
O recado do “guardião”
Após longo impasse, comissões aprovaram relatório do senador Luiz Henrique sobre o projeto de lei que estabelece novo indexador para as dívidas dos estados com a União
Cristãos novos do PDT
Depois de 20 anos, o PDT volta a ter reais chances de vencer uma disputa majoritária estadual

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto