Porto Alegre, terça-feira, 02 de setembro de 2014. Atualizado às 22h53.
Hoje é Dia do Repórter Fotográfico.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
17°C
23°C
15°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2380 2,2400 0,22%
Turismo/SP 2,1300 2,4100 1,26%
Paralelo/SP 2,1400 2,4200 1,25%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
192541
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Repórter Brasília Edgar Lisboa
edgarlisboa@jornaldocomercio.com.br

Repórter Brasília

Coluna publicada em 30/12/2010

Seguridade de vida

Uma das comissões que trabalhou bastante em 2010 na Câmara dos Deputados foi a de Seguridade Social e Família. O presidente, deputado Vieira da Cunha (PDT-RS), destaca algumas propostas aprovadas, entre elas, “a descriminalização da ortotonásia e apuração de violência doméstica mesmo sem a vítima ter feito a denúncia”. O caso da ortanásia, especificamente, possibilitaria que um doente terminal optasse pela suspensão dos procedimentos médicos que o mantêm vivo artificialmente, desde que com uma autorização expressa do paciente ou família. O deputado destacou também o caso do projeto aprovado em que, nos casos de agressão, o Ministério Público não necessite mais da representação da vítima para investigar o caso. Vai poder investigar independentemente da vontade da pessoa agredida. “Sabemos que no âmbito doméstico existe muita ameaça para que não se prossiga uma ação de investigação”, destaca Vieira.

Empresário moderno

O bilionário carioca Eike Batista desenvolve muito bem a área social nas suas empresas. Ninguém sabe com exatidão quantos mil reais ele já doou a obras sociais em todo o País. Além de beneficiar instituições diretamente, Eike investe nas obras do governo federal e estadual. Para a recuperação de parques ecológicos no Norte e Nordeste, fez doações ao Ministério do Meio Ambiente de R$ 14 milhões. Com isso, acabou recebendo críticas, já que o Grupo X têm várias multas por crimes ambientais.

Uma doação significativa foi anunciada por Eike Batista em agosto de 2010, para o próprio governo do Rio. Vai destinar R$ 20 milhões por ano até 2014 para a implementação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

Paralelamente, deu R$ 2 bilhões para o Projeto Escola do Povo, iniciativa da primeira-dama Marisa Letícia, na favela de Paraisópolis, em São Paulo. Num leilão promovido por Marisa Letícia, Eike Batista comprou por R$ 500 mil o terno que o presidente Lula usou na cerimônia de posse em 2006.

Depois da visita de Madonna ao Rio de Janeiro, o empresário investiu também na ONG SFK. Em outubro, liberou R$ 12,9 milhões para projetos educacionais que atenderão a 1.500 crianças carentes.

Em novembro, Eike Batista contribuiu com R$ 1,2 milhão para a campanha do SBT ema favor da AACD e levou Hebe Camargo a chorar no ar. Ainda em novembro, beneficiou uma ONG voltada para o tratamento da Hanseníase, depositando R$ 4,5 milhões na conta da instituição. Ele critica os brasileiros que não ajudam as instituições e o País.

O secretário de Segurança do Rio, o santamaiense José Mariano Beltrame, avalia como fundamental o engajamento da sociedade civil, principalmente dos empresários, no projeto das UPPs. “Eu acho a participação das empresas até mais importante que a pacificação”, assinalou Beltrame.

Transformar o Rio em um dos lugares mais dinâmicos e ricos do mundo é um dos principais objetivos do empresário Eike Batista, homem mais rico do Brasil, o oitavo mais rico do mundo. E pelas ações, parece que isso vai andar com rapidez.

COMENTÁRIOS
Angela de Abreu Rodrigues - 01/01/2011 - 11h20
Considero louvável atitudes como a de Eike Batista que faz doações regulares a diversos projetos assistenciais. Num país como o nosso em que há carências em tantas áreas,é necessário que outros endinheirados façam doações em projetos ligados à infância, à preservação ambiental e tantos outros, pois há necessidade de recursos em muitas áreas. Infelizmente, essas verbas deveriam ser oriundas do poder público que nos esfola com o peso dos impostos e não nos retribui da mesmas forma, pois a saúde pública, saneamento básico, segurança pública e outros deixam a desejar. Por isso, empresários,mesmo investigados como Eike,devem sim dar o retorno, pois dessa maneira diversas pessoas são beneficiadas. O fato de ele estar metido em encrencas ambientais, digamos assim, deve ser investigado e punido. UM BOM 2011.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Combate à corrupção
Ranking que mede a percepção da corrupção em 177 países aponta que o Brasil está bem atrás de vizinhos como Uruguai, na 19ª posição, ou o Chile, na 22ª
Luciana Genro vai bem no Twitter
Levantamento aponta que 97% dos seguidores de Luciana Genro e Levy Fidelix são “reais” e “ativos”
Veto aos municípios
Pela segunda vez, a presidente Dilma Rousseff (PT) vetou uma proposta que regula a criação de novos municípios
Maconha medicinal
A Anvisa discute a mudança da classificação do canabidiol da lista de substâncias psicotrópicas para a de substâncias sujeitas a controle especial

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto