Porto Alegre, domingo, 21 de setembro de 2014. Atualizado às 16h11.
Hoje é Dia da Árvore. Hoje é Dia do Radialista e do Fazendeiro.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
22°C
10°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,3710 2,3730 0,33%
Turismo/SP 2,2500 2,5300 0,39%
Paralelo/SP 2,2600 2,5400 0,39%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
203019
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Repórter Brasília Edgar Lisboa
edgarlisboa@jornaldocomercio.com.br

Repórter Brasília

Coluna publicada em 29/12/2010

Máquina de fiscalização

O Tribunal de Contas da União (TCU), que tem deixado nos últimos anos muitos prefeitos e administradores de dinheiro público sem dormir, promete ampliar para 2011 a “máquina de fiscalização”, criando mais órgãos para vistoriar obras públicas e contratos de concessões. O novo presidente, Benjamim Zymler, pretende evitar, ainda com mais rigor, que o dinheiro público seja gasto indevidamente e as perdas sejam irrecuperáveis. Zymler é carioca, flamenguista e o primeiro servidor a chegar a presidência do Tribunal de Contas em 120 anos de TCU. O vice-presidente Augusto Nardes, gaúcho de Santo Ângelo, é blindado pela assessoria de imprensa e não dá entrevistas. Como todos os gaúchos conhecem seu estilo, certamente, quando começar a falar, terá muito a mostrar sobre a ação de sua área no TCU.

A esperança é Paulo Bernardo

Os Correios - que no passado eram exemplo de eficiência, apesar das inúmeras mudanças que envolveram diretamente o presidente Luiz Inácio da Silva (PT) na busca de solução - continuam com problemas. No novo governo, em busca de uma solução, a presidente Dilma Rousseff (PT) chamou o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, um técnico qualificado e também político, para assumir o Ministério das Comunicações, tendo como uma das prioridades arrumar os Correios. Segundo pesquisa divulgada no final de semana, os Correios conseguem entregar apenas 6% das correspondências dentro do prazo. A demora na entrega é registrada em todo o País. As falhas ficam claras também nas estatísticas oficiais. O Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), do Ministério da Justiça, mostram um crescimento de 59% na quantidade de queixas de usuários de 2009 a 2010. A média mensal de reclamações só neste ano foi de 130. Segundo a empresa oficial, o problema foi ocasionado, principalmente, por mão de obra, e deverá ser equacionado nos próximos meses, claro, já sob o comando de Bernardo nas Comunicações. Os Correios, juntamente com a Infraero (esta ainda sob o comando do gaúcho Nelson Jobim, da Defesa), são dois dos principais problemas para a nova presidente Dilma Rousseff se debruçar já no início do governo.

Curtas

  •  As empresas aéreas ainda vão dar muito trabalho a passageiros e governo. Nem os juizados instalados nos aeroportos conseguiram deter os conflitos que, na maioria, vão parar na Justiça. Em seis meses, só em 33% dos 6 mil atendimentos foram feitos acordos. O ministro Nelson Jobim anunciou logo após sua posse no governo Lula que daria uma solução ao problema das cadeiras nos aviões. O Brasil todo espera até agora e nada. Quem sabe se o ministro, eventualmente, viajasse de avião de carreira e conferisse “de perto” a triste situação enfrentada pelos passageiros a solução não viesse mais rápido.
  •  Aguarda parecer da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal proposta do deputado federal Nelson Proença (PPS-RS) para que o Aeroporto Internacional de Pelotas receba, como homenagem póstuma, o nome do ex-prefeito, advogado e filósofo, Bernardo de Souza. Além de prefeito, foi secretário de Justiça no governo Pedro Simon (1987-1990).
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Balde de gelo
Realidade da pesquisa sobre a doença no Brasil faz jus ao nome da iniciativa: é um balde de água fria na esperança dos doentes
Família na política
A exemplo do clã Genro, os Stédile têm as suas brigas familiares
Eymael, um otimista nato
Neste fim de semana, Eymael fez um comentário curioso em seu Twitter
Ajuste difícil
A reforma tributária é um sonho distante de todos os presidentes que o Brasil teve desde a redemocratização

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto