Porto Alegre, sexta-feira, 22 de agosto de 2014. Atualizado às 14h37.
Hoje é Dia do Folclore.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
29°C
16°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2800 2,2820 0,61%
Turismo/SP 2,0900 2,4200 0,41%
Paralelo/SP 2,0900 2,4200 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
209537
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Repórter Brasília Edgar Lisboa
edgarlisboa@jornaldocomercio.com.br

Repórter Brasília

Coluna publicada em 29/12/2010

Máquina de fiscalização

O Tribunal de Contas da União (TCU), que tem deixado nos últimos anos muitos prefeitos e administradores de dinheiro público sem dormir, promete ampliar para 2011 a “máquina de fiscalização”, criando mais órgãos para vistoriar obras públicas e contratos de concessões. O novo presidente, Benjamim Zymler, pretende evitar, ainda com mais rigor, que o dinheiro público seja gasto indevidamente e as perdas sejam irrecuperáveis. Zymler é carioca, flamenguista e o primeiro servidor a chegar a presidência do Tribunal de Contas em 120 anos de TCU. O vice-presidente Augusto Nardes, gaúcho de Santo Ângelo, é blindado pela assessoria de imprensa e não dá entrevistas. Como todos os gaúchos conhecem seu estilo, certamente, quando começar a falar, terá muito a mostrar sobre a ação de sua área no TCU.

A esperança é Paulo Bernardo

Os Correios - que no passado eram exemplo de eficiência, apesar das inúmeras mudanças que envolveram diretamente o presidente Luiz Inácio da Silva (PT) na busca de solução - continuam com problemas. No novo governo, em busca de uma solução, a presidente Dilma Rousseff (PT) chamou o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, um técnico qualificado e também político, para assumir o Ministério das Comunicações, tendo como uma das prioridades arrumar os Correios. Segundo pesquisa divulgada no final de semana, os Correios conseguem entregar apenas 6% das correspondências dentro do prazo. A demora na entrega é registrada em todo o País. As falhas ficam claras também nas estatísticas oficiais. O Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), do Ministério da Justiça, mostram um crescimento de 59% na quantidade de queixas de usuários de 2009 a 2010. A média mensal de reclamações só neste ano foi de 130. Segundo a empresa oficial, o problema foi ocasionado, principalmente, por mão de obra, e deverá ser equacionado nos próximos meses, claro, já sob o comando de Bernardo nas Comunicações. Os Correios, juntamente com a Infraero (esta ainda sob o comando do gaúcho Nelson Jobim, da Defesa), são dois dos principais problemas para a nova presidente Dilma Rousseff se debruçar já no início do governo.

Curtas

  •  As empresas aéreas ainda vão dar muito trabalho a passageiros e governo. Nem os juizados instalados nos aeroportos conseguiram deter os conflitos que, na maioria, vão parar na Justiça. Em seis meses, só em 33% dos 6 mil atendimentos foram feitos acordos. O ministro Nelson Jobim anunciou logo após sua posse no governo Lula que daria uma solução ao problema das cadeiras nos aviões. O Brasil todo espera até agora e nada. Quem sabe se o ministro, eventualmente, viajasse de avião de carreira e conferisse “de perto” a triste situação enfrentada pelos passageiros a solução não viesse mais rápido.
  •  Aguarda parecer da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal proposta do deputado federal Nelson Proença (PPS-RS) para que o Aeroporto Internacional de Pelotas receba, como homenagem póstuma, o nome do ex-prefeito, advogado e filósofo, Bernardo de Souza. Além de prefeito, foi secretário de Justiça no governo Pedro Simon (1987-1990).
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Depois de Dilma
Possibilidade de um segundo mandato de Dilma deixa PT sem lideranças fortes para disputar a presidência
Novos candidatos
A morte de Eduardo Campos, e a subsequente escolha da vice, Marina Silva (PSB), embaralhou a política gaúcha
Resistência à censura
O 10º Congresso Brasileiro de Jornais reservou o segundo dia para homenagear Ruy Mesquita e Roberto Civita
Credibilidade do jornal

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto