Porto Alegre, quinta-feira, 23 de outubro de 2014. Atualizado às 23h41.
Hoje é Dia da Aviação e do Aviador.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
29°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,4780 2,4800 0,12%
Turismo/SP 2,3500 2,6700 1,13%
Paralelo/SP 2,3600 2,6700 0,75%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
184033
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
De Olho na tevê Carlos Pires de Miranda
carlos@piresdemiranda.com.br

De Olho na tevê

Coluna publicada em 24/11/2010

Inédita?

Aos estatísticos caberia descobrirem se essa campanha do Grêmio no returno tem antecedentes, desde que começou o sistema de pontos corridos no Brasileirão. Lembro de episódios heroicos, como a recuperação do Fluminense em 2008 com Renê Simões, em 2009 com Cuca – ambos conseguiram livrar o clube do quase inevitável rebaixamento. No caso de Renato Portaluppi, foi preciso vencer o descrédito do time junto à torcida e à maioria dos cronistas (este, modéstia à parte, esteve sempre entre as exceções), tirar o time do Z-4 e alçá-lo à disputa aberta pela vaga à Libertadores.

Armações ilimitadas

Semana passada viram um pênalti indiscutível sobre Ronaldo como prova de armação a favor do Corinthians. Desde domingo, quando Héber Roberto Lopes expulsou injustamente Xandão e Richarlyson do São Paulo e resolveu um jogo encrespado, fala-se que tudo está acertado para o Flu ser campeão. Tudo isso me parece campanha aberta contra o campeonato por pontos corridos – o diabo é que é bem aí o furo do sistema.

Dupla mediocridade

Acho legal que Inter e Grêmio possam disputar a mesma Libertadores em 2011. Imagine só, a maior rivalidade futebolística do Brasil transposta para o plano continental... Só tem uma coisa: por que precisa existir a tal gangorra, detectada há séculos por Lauro Quadros e reafirmada a cada ano? Com estruturas, torcidas e associados que tem, a dupla deveria manter lugares cativos na competição sul-americana.

Inconformidade

A nota anterior é só o começo desta inconformada constatação: o Inter, que se jacta de ser campeão mundial Fifa, há 31 anos não ganha o Brasileiro. Imaginem o número de jovens colorados que jamais presenciaram essa conquista – quem tiver 30 anos de idade ou menos, é preciso que os pais contem como foi.  E o Grêmio, desde 1996 na fila? Somados, os dois disputaram 45 campeonatos sem sequer uma vez trazerem a taça para casa.

Pensando longe

Irão dizer: o Palmeiras prioriza a Sul-Americana, o Inter traz o Mundial na cabeça o tempo todo. Está bem, então podem perder à vontade no Brasileirão, ficar distantes do título, não tem problema. O que eu duvido é que, se os planos não tiverem êxito, suas torcidas engulam caladas essas hoje desprezíveis derrotas. Tudo entrará na conta de Felipão, Roth e diretorias – “por que poupar-se no Brasileirão?” Ainda bem que as probabilidades são boas para ambos, seus rivais lá e cá não assustam.

Pitacos

•    As possíveis explicações para os inaceitáveis números de Inter e Grêmio quanto a títulos do Brasileirão, tentarei repassar em outro momento.

• No cerne da questão, penso estar essa repetitiva alternância no futebol gaúcho. Ou é um ou é outro – os dois não cabem.

• Viram o Muriel contra o Botafogo? Estou falando, há mais de um ano que ele merecia uma chance. Não era adivinhação: quem jogou na posição, conhece.

• Muita gente considera o Grêmio no grupo que estará na Libertadores. Esquecem que será preciso, além de se manter na quarta posição, secar Palmeiras (ou Goiás) na Sul-Americana.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
A luta só pela Libertadores
Embora a rodada de hoje seja uma grande ameaça, agora o Inter tem o ambiente que precisa para se aguentar mais um pouco no G-4
Um Brasil reabilitado
Há tempos não se via uma seleção japonesa tão ingênua como essa que levou merecidos 4 a 0 ontem
Altos e baixos
A surpreendente recuperação gremista empacou frente ao São Paulo, uma equipe forte, ainda que sem seu técnico Muricy
Obrigado, Grêmio
Após uma longa série invicta de jogos, oito deles sem tomar gol, os gremistas aplaudem entusiasticamente seu treinador

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto