Porto Alegre, sábado, 20 de setembro de 2014. Atualizado às 22h39.
Hoje é Feriado no RS - Revolução Farroupilha.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
21°C
13°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,3710 2,3730 0,33%
Turismo/SP 2,2500 2,5300 0,39%
Paralelo/SP 2,2600 2,5400 0,39%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
198168
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Saúde Notícia da edição impressa de 25/10/2010

Banco de Remédios recebe doações em Porto Alegre

Cláudio Isaias

GABRIELA DI BELLA/JC
Presidente da SOS Rim, Damaso Roberto Silvera, quer evitar o desperdício no País
Presidente da SOS Rim, Damaso Roberto Silvera, quer evitar o desperdício no País

Muitas vezes sobram em nossa casa medicamentos de uso contínuo que estão dentro do prazo de validade e que poderiam ser aproveitados por uma outra pessoa que não tem condições de comprar a medicação na farmácia. No entanto, grande parte da população prefere deixar os remédios guardados na gaveta ou jogá-los no lixo. Dados do Ministério da Saúde mostram que o desperdício de medicamentos no País chega a 40%, ou seja, se perde algo em torno de R$ 3 bilhões em remédios com validade.

Para mudar esta realidade, a organização não governamental SOS Rim criou em 2008 o Banco de Remédios com a proposta de receber medicamentos com validade e em desuso pela população. O presidente da SOS Rim e do Banco de Remédios, Damaso Roberto Silvera, salienta que na maioria dos casos as pessoas utilizam dois ou três comprimidos, não se adaptam e depois não sabem o que fazer. "A nossa proposta é aproveitar os medicamentos novos e evitar o desperdício." De acordo com Silvera, também é realizado o descarte dos produtos vencidos e os remédios novos são repassados gratuitamente à população, tanto do Rio Grande do Sul quanto de outros estados, comprovadamente de baixa renda.

Segundo o presidente da SOS Rim, a proposta da instituição é minimizar as despesas das famílias carentes e conscientizar a população sobre o risco de permanecer com medicamentos em desuso em casa ou o seu descarte em locais inadequados. "A ideia é alertar para o que está sendo desperdiçado e o que pode ser aproveitado em benefício da sociedade", acrescenta.

A SOS Rim começou o seu trabalho com a proposta de atender somente a pacientes crônicos que necessitavam de medicamentos de uso contínuo - câncer, lupos, transplantados renais, de fígado e de pâncreas. Muitos doentes que deixavam os hospitais demoravam de 30 a 60 dias para o recebimento dos remédios em função dos processos de licitação abertos pelo Estado. Como os pacientes transplantados não podiam ficar sem o remédio por muito tempo, a ONG decidiu criar o banco. No entanto, a demanda superou as expectativas, muito em razão de os hospitais começarem a indicar o local aos pacientes para a retirada dos medicamentos gratuitos.

A SOS Rim recebeu autorização da Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) para instalação de um quiosque permanente no Mercado Público. No local, a população pode doar medicamentos. Os interessados também podem se dirigir até a sede do Banco de Remédios, na rua dos Andradas, 1.560, 6º andar, Galeria Malcon, no Centro. Mais informações pelos telefones (51) 3433.7640 e 0800.7654321 ou pelo site bancoderemedios.org.

COMENTÁRIOS
Lyon - 25/10/2010 - 20h14
Conheço o trabalho dessa ONG, é sério, faço doações eventualmente e dão retorno. Parabéns pelo trabalho


ana claudia -
04/11/2010 - 18h02
Gostaria muito de fazer uma doação de alguns medicamentos mas não tenho como levar até o centro.Vcs teriam como vir buscar estou de faxina e preciso liberar o espaço até amanhã à tarde por favor me retornem logo que possível.Obrigada


joão batista da rosa santos -
25/05/2012 - 10h16
Ola, bom dia! Fiquei sabendo do trabalho da ONG um dia deste pelo radio. Pesquisei aqui no site e pelo que ví o trabalho dos srs. é super importante e de alguma forma eu gostária de participar. Tenho alguma medicação que não faço mais uso e por intermédio de meu circulo de amizade posso fazer aumentar esta quantidade de medicação. Mas não querendo fazer deste o motivo, queria saber de vcs se minha filha que é paciente renal e faz uso continuo da medicação ' litocite 10mg' o que ela tem que fazer pra tentar receber esta medicação. ela tem 2 filhos pequenos e teve o companheiro dela morto a serca de 5anos e trabalha exporadicamente, não tendo um bom salário. Mas independente de ela poder ou não rweceber a medicação eu gostária de fazer uma doação dosmedicamentos que tenho em meu poder e que não vou fazer uso. Um abraço e parabéns pelo trabalho dos Srs. Atenciosamente, João Batista.


ceclia mironiuk goulart -
09/01/2013 - 13h31
procurei a sos rim nest3e endereço e telefone ninguem atende ou este telefone nao existe e a menssagem. sou transplantada renal e preciso de micofenolato pois esta demorando paraa ser liberado .nao consigo entrar em contato .obrigado


eliane brizolla peixoto -
07/11/2013 - 20h40
preciso de acetato de leoprorrelina 3,75 mg com urgencia pois esta demorando para vir na farmacia do estado minha filha tem 9 anos e nao pode ficar sem por favor me ajudem obrigada

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Para Maria Rita, há médicos, mas eles não querem trabalhar na rede
Resolução terá que ser cumprida, afirma Simers
Anvisa lança programas para monitoramento de medicamentos e produtos
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária lançou dois programas de monitoramento da qualidade de medicamentos e produtos para saúde no Brasil
Vacina contra hepatite A já está disponível em postos
A vacina contra a hepatite A já está disponível em todos os postos de saúde do País
Média em emergências da Capital é de três horas para não urgências
Para Casartelli, espera de duas horas é inviável

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto