Porto Alegre, sexta-feira, 24 de outubro de 2014. Atualizado às 22h41.
Hoje é Dia das Nações Unidas - ONU.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
31°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,4560 2,4580 2,18%
Turismo/SP 2,3300 2,6500 1,11%
Paralelo/SP 2,3400 2,6600 1,11%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
120849
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
De Olho na tevê Carlos Pires de Miranda
carlos@piresdemiranda.com.br

De Olho na tevê

Coluna publicada em 22/09/2010

Indignação gremista

Semana passada recebi uma dezena de mensagens de indignados gremistas, simplesmente por ter escrito que o jogo do Inter fora de casa seria mais fácil do que o do Grêmio no Olímpico. Depois de os tricolores perderem para o Palmeiras e os colorados vencerem ao São Paulo, apenas um daqueles leitores escreveu novamente – brincalhão, pedindo palpites para Mega-Sena. Não é impossível acertar – no esporte, é claro, não no sorteio milionário. Basta ver o futebol com olhos de analista, não de torcedor.

Explicação

É previsível neste Brasileirão a estratégia dos times médios e pequenos. Em casa, quando pensam que irão encarar alguém do seu tamanho – ou ao seu alcance – eles tentam jogar para vencer. Então apanham feio, como o Avaí ao se arriscar contra o Grêmio no domingo. Mas quando esses times medianos entendem que o adversário é mais forte, que está no pelotão de cima na tabela, se encaramujam em seu próprio campo e passam a viver dos contragolpes, estratégia que muitas vezes dá resultado.

E hoje?

Não é matemático, ou não seria futebol. O Atlético-PR arrancou espetacularmente rumo ao G-4, mas o Inter voltou forte depois da Copa – jogo difícil, tendência para empate com gols. No Olímpico, o dilema gremista: ataca a frágil defesa do Flamengo e se expõe às estocadas de Renato, Diogo e Deivid ou espera, testa a paciência da torcida e busca racionalmente a vitória? Uma oportunidade para Renato Portaluppi mostrar novamente sua veia de estrategista, derrotar seu antecessor (Silas) e embalar no Brasileirão.

Cadê a agenda?

Nos tempos em que o Juventude garimpava desconhecidos, com eles montava bons times e ganhava até Copa do Brasil, falava-se de um diretor que possuía uma prodigiosa agenda, capaz de lhe fornecer os nomes certos para as posições carentes. Hoje, o clube é a imagem do fracasso, construído nas quatro últimas temporadas, sofrendo goleadas vexatórias no Gauchão, cumprindo péssimas campanhas no Brasileiro, que o fizeram desabar para a Série D. O diabo é que o caminho de volta é muito mais lento e doloroso.

Pitacos

• Amigos da Bola: assim eles foram batizados pelo então comentarista (de jogo) Lauro Quadros. Um deles era Gaspar (ex-Inter e Corinthians). E quem mais? Repostas ao e-mail desta coluna.

• Antonio Lopes, o técnico preferido de Romeu Masiero, foi o 22º demitido neste Brasileirão.

• O presidente do Palmeiras estava hospitalizado ontem. Além dele, no ano passado os maus resultados haviam derrubado Luxemburgo e Muricy Ramalho.

• Agora a irregularidade do time sacode Felipão, que dispara contra as arbitragens e limita drasticamente a ação dos repórteres. O nome disso é crise estrutural, começa desde a portaria do Parque Antarctica e passa pela parceira do clube.

• Márcio Rezende de Freitas, odiado pelos colorados desde o Brasileirão de 2005 – que o Inter entregou ao Corinthians, ao perder na última rodada para o rebaixado Coritiba – hoje é comentarista de arbitragem da Globo em Minas.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
A luta só pela Libertadores
Embora a rodada de hoje seja uma grande ameaça, agora o Inter tem o ambiente que precisa para se aguentar mais um pouco no G-4
Um Brasil reabilitado
Há tempos não se via uma seleção japonesa tão ingênua como essa que levou merecidos 4 a 0 ontem
Altos e baixos
A surpreendente recuperação gremista empacou frente ao São Paulo, uma equipe forte, ainda que sem seu técnico Muricy
Obrigado, Grêmio
Após uma longa série invicta de jogos, oito deles sem tomar gol, os gremistas aplaudem entusiasticamente seu treinador

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto