Porto Alegre, sábado, 20 de dezembro de 2014. Atualizado às 21h11.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
21°C
30°C
23°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,6550 2,6570 0,07%
Turismo/SP 2,4800 2,8100 0,70%
Paralelo/SP 2,4900 2,8200 0,70%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
547039
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

tecnologia Notícia da edição impressa de 01/09/2010

Ceitec vai desenvolver chip para rastrear bolsas de sangue

Patricia Knebel

João Mattos/JC
Novas etiquetas permitem a rastreabilidade de hemoderivados da Hemobras
Novas etiquetas permitem a rastreabilidade de hemoderivados da Hemobras

A Ceitec e a Hemobras, duas empresas públicas federais, assinaram acordo que prevê o desenvolvimento de etiquetas para bolsas de sangue e hemoderivados. As tags terão chips que utilizam tecnologia Radio-Frequency IDentification (RFID), que faz a identificação automática através de sinais de rádio.

O acordo prevê a união de esforços das duas empresas, além do financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes). O objetivo é implantar sistemas que permitam a otimização da cadeia de produção de hemoderivados que envolva captação, armazenamento, transporte e processamento de plasma.

A tecnologia de identificação por radiofrequência garante rastreabilidade, aumento de eficiência e velocidade do processo produtivo de hemoderivados. O produto final é uma etiqueta RFID, desenvolvida pela Ceitec.

"A parceria coloca o Brasil em um novo patamar de segurança de dados e rastreabilidade de plasma, resultando em um sistema de automação da cadeia produtiva de hemoderivados na rede de hemocentros e serviços de hemoterapia, através da tecnologia RFID", revela o presidente da Ceitec, Cylon Gonçalves da Silva. A Hemobras poderá distribuir as etiquetas com chip RFID aos hemocentros e utilizá-las nas etapas do processamento de produtos derivados de sangue.

Novo prédio marca expansão do Tecnosinos

Complexo Empresarial Padre Rick ajuda a solucionar necessidade de crescimento do parque tecnológico

A necessidade de expansão das empresas no Parque Tecnológico São Leopoldo (Tecnosinos) começou a ser resolvida ontem com a inauguração do Complexo Empresarial Padre Rick. Localizado na área próximo à Unidade de Inovação Tecnológica (Unitec), o novo prédio tem 4 mil m2, cinco andares e abriga 50 módulos empresariais.

A Sawluz, Disys, E-Storage, F1 Soluções e Workroom já confirmaram a instalação no local. Com isso, as empresas ampliam o espaço que ocupavam dentro do parque, assim como a Softtek, que migrará para esse novo prédio. A movimentação de mudança se iniciou nas últimas duas semanas. "Antes mesmo da inauguração estávamos com cerca de 50% dos espaços destinados", revela o gerente-executivo do Tecnosinos, Walter Doell Wegermann.

Boa parte do novo prédio será ocupada pelas empresas da Unitec, a incubadora de base tecnológica do empreendimento. Atualmente, são 37 jovens empresas na unidade, mas a meta é chegar a 100 em 2011. Para isso, será destinado um espaço para 20 empresas do segmento de nutracêutica, uma das apostas do Tecnosinos para os próximos anos. Além disso, entre dez e 15 incubadas da área de hardware e eletrônica deverão ser atraídas para o novo prédio.

A Oliva Construções responde pela execução da obra do Complexo Empresarial Padre Rick e a sinalização é da Sceno Environmental Graphic Design. A comercialização dos espaços está a cargo da Ética.

Essa ampliação é mais um passo do Tecnosinos dentro do seu plano ambicioso de crescimento nos próximos dez anos. A meta é chegar a 300 empresas - sendo 20 novas âncoras - e 5 mil empregos de base tecnológica.
Atualmente, são mais de 40 operações, sem considerar as incubadas, e uma movimentação de R$ 1 bilhão em negócios por ano. Cerca de 2,1 mil profissionais trabalham nas empresas sediadas no Tecnosinos. Atualmente, o parque tecnológico encontra-se em uma área de 250 mil m2.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Campus Party de 2015 terá presença do jornalista Chris Anderson
A oitava e próxima edição do evento Campus Party em São Paulo será realizada entre os dias 3 e 7 de fevereiro
Instagram vale US$ 35 bilhões, diz Citigroup
O aumento de 84% se deve ao rápido crescimento da rede social, adquirida pelo Facebook em 2012 por US$ 1 bilhão, de acordo com a nota
Advent compra controle da companhia brasileira de TI Allied
Esse é o terceiro investimento da Advent no Brasil neste ano. Antes da Allied, o fundo comprou participação na Cataratas do Iguaçu
Juliana diz que Brasil vive consumo emergente
Internautas consomem mais conteúdos gratuitos

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto