Porto Alegre, sábado, 18 de abril de 2015. Atualizado às 22h23.
Hoje é Dia Nacional do Livro Infantil.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
20°C
25°C
13°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,0410 3,0430 0,86%
Turismo/SP 2,9200 3,2400 0,93%
Paralelo/SP 2,9200 3,2400 1,25%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
601158
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

tecnologia Notícia da edição impressa de 01/09/2010

Ceitec vai desenvolver chip para rastrear bolsas de sangue

Patricia Knebel

João Mattos/JC
Novas etiquetas permitem a rastreabilidade de hemoderivados da Hemobras
Novas etiquetas permitem a rastreabilidade de hemoderivados da Hemobras

A Ceitec e a Hemobras, duas empresas públicas federais, assinaram acordo que prevê o desenvolvimento de etiquetas para bolsas de sangue e hemoderivados. As tags terão chips que utilizam tecnologia Radio-Frequency IDentification (RFID), que faz a identificação automática através de sinais de rádio.

O acordo prevê a união de esforços das duas empresas, além do financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes). O objetivo é implantar sistemas que permitam a otimização da cadeia de produção de hemoderivados que envolva captação, armazenamento, transporte e processamento de plasma.

A tecnologia de identificação por radiofrequência garante rastreabilidade, aumento de eficiência e velocidade do processo produtivo de hemoderivados. O produto final é uma etiqueta RFID, desenvolvida pela Ceitec.

"A parceria coloca o Brasil em um novo patamar de segurança de dados e rastreabilidade de plasma, resultando em um sistema de automação da cadeia produtiva de hemoderivados na rede de hemocentros e serviços de hemoterapia, através da tecnologia RFID", revela o presidente da Ceitec, Cylon Gonçalves da Silva. A Hemobras poderá distribuir as etiquetas com chip RFID aos hemocentros e utilizá-las nas etapas do processamento de produtos derivados de sangue.

Novo prédio marca expansão do Tecnosinos

Complexo Empresarial Padre Rick ajuda a solucionar necessidade de crescimento do parque tecnológico

A necessidade de expansão das empresas no Parque Tecnológico São Leopoldo (Tecnosinos) começou a ser resolvida ontem com a inauguração do Complexo Empresarial Padre Rick. Localizado na área próximo à Unidade de Inovação Tecnológica (Unitec), o novo prédio tem 4 mil m2, cinco andares e abriga 50 módulos empresariais.

A Sawluz, Disys, E-Storage, F1 Soluções e Workroom já confirmaram a instalação no local. Com isso, as empresas ampliam o espaço que ocupavam dentro do parque, assim como a Softtek, que migrará para esse novo prédio. A movimentação de mudança se iniciou nas últimas duas semanas. "Antes mesmo da inauguração estávamos com cerca de 50% dos espaços destinados", revela o gerente-executivo do Tecnosinos, Walter Doell Wegermann.

Boa parte do novo prédio será ocupada pelas empresas da Unitec, a incubadora de base tecnológica do empreendimento. Atualmente, são 37 jovens empresas na unidade, mas a meta é chegar a 100 em 2011. Para isso, será destinado um espaço para 20 empresas do segmento de nutracêutica, uma das apostas do Tecnosinos para os próximos anos. Além disso, entre dez e 15 incubadas da área de hardware e eletrônica deverão ser atraídas para o novo prédio.

A Oliva Construções responde pela execução da obra do Complexo Empresarial Padre Rick e a sinalização é da Sceno Environmental Graphic Design. A comercialização dos espaços está a cargo da Ética.

Essa ampliação é mais um passo do Tecnosinos dentro do seu plano ambicioso de crescimento nos próximos dez anos. A meta é chegar a 300 empresas - sendo 20 novas âncoras - e 5 mil empregos de base tecnológica.
Atualmente, são mais de 40 operações, sem considerar as incubadas, e uma movimentação de R$ 1 bilhão em negócios por ano. Cerca de 2,1 mil profissionais trabalham nas empresas sediadas no Tecnosinos. Atualmente, o parque tecnológico encontra-se em uma área de 250 mil m2.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Algo em torno de 200 unidades do Apple 1 foram vendidas
Raro computador Apple 1 que ainda funciona vai a leilão na internet
Apple abrirá primeira loja em SP no sábado
O empreendimento começou a ser construído em dezembro do ano passado
O modelo S6 ganhou um novo design, deixando para trás o visual de band-aid do S5
Começa a pré-venda do Galaxy S6 da Samsung a partir de R$ 3.299
 O preço atualizado do iPhone hoje, com a desvalorização do real, é de US$ 1.150
Brasil tem iPhone mais caro do mundo, diz pesquisa

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto