Porto Alegre, segunda-feira, 21 de agosto de 2017.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
12°C
22°C
9°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,1450 3,1470 1,00%
Turismo/SP 3,1500 3,3100 0%
Paralelo/SP 3,1500 3,3100 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  | 
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
198467
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
198467
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
198467
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Incentivos 04/08/2010 - 16h25min

Fórum discute formas de estímulos a pequenas e microempresas

Agência Brasil

Elza Fiúza/ABr/JC
Presidente do Sebrae, Paulo Okamoto, fala na abertura do encontro.
Presidente do Sebrae, Paulo Okamoto, fala na abertura do encontro.

O Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte deu início, nesta quarta-feira (4), a uma reunião de dois dias para sensibilizar os executivos estaduais e municipais a enquadrarem empresas do segmento nos benefícios previstos na Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, em vigor desde 2007.

Ligado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o fórum é um espaço de debates, dos quais participam os setores público e privado para a elaboração de políticas públicas que favoreçam as micro e pequenas empresas.

O presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Paulo Okamoto, disse que "a lei geral é muito boa, mas é preciso que seja entendida e acatada nos estados e municípios dentro das facilidades criadas dos pontos de vista tributário, administrativo e da fiscalização. A substituição tributária continua sendo o maior empecilho que as micro e pequenas empresas encontram para o seu desenvolvimento".

Pelo sistema, os governos estaduais recolhem de forma antecipada o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o que, segundo Okamoto, significa "pena de morte" para as empresas pequenas de menor porte.

Okamoto defende que haja uma "sistemática seletiva e que [essa sistemática] não seja aplicada de forma indiscriminada porque o empresário de pequeno porte não tem o mesmo caixa das grandes empresas. As menores ficam engessadas para a concorrência de mercado e não têm como vender mais barato".

Trata-se, de acordo com ele, de defender o trabalho de 3,4 milhões de empresas que aderiram ao Simples Nacional. Segundo o presidente do Sebrae, atualmente, menos de 1% das empresas que atuam no país ficam com quase 70% de seu faturamento enquanto 94% das demais, as menores, só conseguem reter 17% do faturamento. Com isso, segundo ele, "poucos estão ganhando muito e muitos ganhando pouco. Se quisermos criar uma boa classe média de trabalhadores, é preciso que as empresas do Simples tenham como investir na sua segurança, assim como nos salários, o que é impossível acontecer com o peso atual da carga tributária".

De acordo com Okamoto, as micro e pequenas empresas empregam 56% da classe trabalhadora no país.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Autoridades se reunem no Salão Nobre no Centro Administrativo para discutir o programa
Farroupilha lança pacote de incentivos ao desenvolvimento econômico do município
Governo prorroga PIS/Cofins zero pedido pela Abinee
Ministério confirmou a prorrogação de benefício fiscal para o Programa de Inclusão Digital até 31 de dezembro de 2018
Indústria da informática terá redução de IPI até 2029
Os benefícios da Lei da Informática, como redução do Imposto sobre Produtos Industrializados para o setor e percentuais mínimos de investimentos em pesquisas, serão prorrogados até 2029
Bndes cria programa para inovação em pequena empresa
O Programa Bndes de Apoio à Micro, Pequena e Média Empresa Inovadora terá dotação orçamentária de R$ 500 milhões

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e acessar
o arquivo do JC.


 
para folhear | modo texto