Porto Alegre, quinta-feira, 27 de novembro de 2014. Atualizado às 15h54.
Hoje é Dia do Técnico de Segurança do Trabalho. Hoje é Dia Internacional de Combate ao Câncer. Hoje é Feriado nos EUA - Dia de Ação de Graças.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
28°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,5080 2,5100 0,11%
Turismo/SP 2,3900 2,6800 0,37%
Paralelo/SP 2,4000 2,6900 0,37%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
128144
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Repórter Brasília Edgar Lisboa
edgarlisboa@jornaldocomercio.com.br

Repórter Brasília

Coluna publicada em 12/07/2010

Mais rico, sem carro

Por ironia, entre os candidatos a governador que já entregaram suas declarações de patrimônio ao TSE, o mais rico é o que menos carro tem. Na verdade, Tarso Genro (PT), que tem patrimônio avaliado em R$ 2,9 milhões, detém apenas a fração de um carro que ele herdou de seu pai, em 2006, avaliada em R$ 2 mil. O restante do patrimônio está em aplicações e imóveis. O mais valioso deles é uma casa, avaliada em R$ 750 mil, no bairro Rio Branco, em Porto Alegre.

Casa de Yeda

A casa da candidata Yeda Crusius (PSDB) também está avaliada em R$ 750 mil. Contudo, a tucana só detém 50% da casa, ou seja, R$ 375 mil. O proprietário da outra metade da casa não foi divulgado na declaração. A tucana tem patrimônio total de R$ 620 mil, quatro vezes menor do que o do candidato petista ao Piratini. Diferentemente de Tarso, Yeda tem dois automóveis. Um Fiat Siena 2004 quitado (R$ 40 mil) e um Kia Sportage 2009 (R$ 39 mil) financiado. Sim caros leitores. Assim como muitos brasileiros, Yeda também tem seu carnezinho com parcelas a pagar do carro.

Carro mais caro

O título de carro mais caro vai para Fogaça (PMDB). Na garagem do candidato peemedebista, o Renault Megane 2007 (R$ 50 mil) fica ao lado de um Fiat Palio 2003 (R$ 25 mil). Integram ainda o patrimônio de R$ 564 mil de Fogaça, uma casa de R$ 430 mil em Três Figueiras (Porto Alegre) e um lote de R$ 58 mil em Balneário Xangri-Lá.

Nenhum bem

Aroldo Medina (PRP), com R$ 395 mil, Pedro Ruas (Psol), com R$ 295 mil, e Montserrat Martins (PV), com R$ 105 mil, completam o ranking dos seis candidatos mais ricos ao governo do Estado. Não constam no sistema do TSE, até o momento, as declarações de bens dos candidatos Schneider (PMN), Professor Guterres (PRTB) e Julio Flores (PSTU).

Vices mais ricos

Entre os candidatos a vice-governador, os três mais ricos são o pedetista Pompeo de Mattos (R$ 1,43 milhão), o socialista Berfran Rosado (R$ 864 mil) e o comunista Nubem (R$ 587 mil). No patrimônio de Pompeo, estão inclusos sete casas, cinco apartamentos, duas salas comerciais, duas camionetes, dois carros, duas motos, um jet ski, uma pequena embarcação e um buggy.

Caso Bruno

"A impressão que fica, senhores e senhoras, é que certas autoridades deste País, quando se trata de agressão à mulher, somente agem quando o pior já ocorreu", discursou a senadora cruz-altense Serys Slhessarenko (PT-MT, foto), ao criticar a atuação da Justiça no caso do desaparecimento de Eliza Samudio, que pode ter sido morta a mando do ex-goleiro do Flamengo Bruno Souza.

Curta

• O deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) enviou requerimento de informações ao diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa. Ele quer saber por que a taxa para expedição de passaporte no Brasil é uma das mais caras do mundo e por que o prazo de validade é de apenas cinco anos.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Vote contra você
De acordo com parlamentar, a votação de dois destaques é o que falta para aprovar a proposta de emenda à Constituição (PEC) que institui o Orçamento Impositivo
Meia dúzia que sai ganhando
O trigo está apresentando uma matemática bizarra, que consegue ao mesmo tempo pagar menos ao produtor e cobrar mais do consumidor
Veto aos municípios
Deputados e senadores deverão se reunir nesta terça-feira para apreciar 38 vetos presidenciais
Combate continental à corrupção
O Brasil quer levar para outros países da América Latina e do Caribe experiências no combate à corrupção

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto