Porto Alegre, domingo, 20 de abril de 2014. Atualizado às 20h38.
Hoje é Páscoa.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
22°C
27°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2340 2,2360 0,26%
Turismo/SP 2,1200 2,3600 0%
Paralelo/SP 2,1400 2,4100 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
131579
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira | adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 15/07/2009

Yeda na feira

A governadora Yeda Crusius (PSDB) participou, ontem, da abertura da edição 2009 da Feira Internacional de Calçados, Acessórios de Moda, Máquinas e Componentes (Francal), no Parque de Exposições do Anhembi, em São Paulo (SP). A participação de 41 empresas do Rio Grande do Sul no evento é viabilizada pela Secretaria do Desenvolvimento e dos Assuntos Internacionais (Sedai), que investiu R$ 150 mil, por meio do programa de Apoio à Participação em Feiras, na locação de um estande coletivo de 612 metros quadrados, compartilhado pelos fabricantes.

Decoro
O presidente do Senado, senador José Sarney (PMDB-AP), está sendo acusado pelo líder do PSDB, senador Arthur Virgílio, de ter faltado com o decoro parlamentar. Esta denúncia deve ser analisada pelo Conselho de Ética da Casa, tão logo ele volte a funcionar. Arthur Virgílio disse considerar que o presidente da Casa teria mentido ao afirmar que não participa da administração da fundação que leva o seu nome.

Investigação
O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, recebeu ofício do senador José Sarney (PMDB-AP) requerendo que o Ministério Público investigue nos bancos internacionais se há qualquer espécie de conta em seu nome. A iniciativa foi motivada por causa de matéria veiculada pela revista Veja, nesta semana, na qual a publicação noticia que Sarney teria mantido, entre 1999 e 2001, conta no exterior não declarada à Receita Federal.

Ética
O Senado aprovou, enfim, por 54 votos favoráveis e três contrários, os nomes dos 15 titulares e mais 15 suplentes do Conselho de Ética da Casa. Ontem até já houve uma reunião preliminar dos novos integrantes do Conselho. O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) é o mais cotado para presidir o conselho. Assim como na CPI da Petrobras, os governistas são maioria no Conselho de Ética e pretendem blindar o presidente do Senado, José Sarney. Dez do total de 15 integrantes deverão votar pelo arquivamento do pedido de cassação de Sarney. A ideia é também deixar o Conselho de Ética funcionar apenas depois do recesso parlamentar. Ética até por aí.

Fraude
A Secretaria da Receita Federal, em conjunto com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, iniciou a Operação Porto Europa, que busca apreender provas de suposta fraude na importação de artigos de luxo. De acordo com a Receita, os mandados, expedidos pela Justiça Federal de São Paulo, abrangem as lojas e residências dos beneficiários do esquema, bem como os escritórios de contabilidade. Após um ano de investigação, verificou-se que a suposta organização criminosa cometeu, nos anos de 2004, 2005 e 2006, ações de “laranjas” e subfaturamento em importações, além de crimes como descaminho e sonegação fiscal.

Rombo
O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, já foi devidamente alertado que, com a queda da arrecadação por conta da crise, sua pasta deverá fechar a contabilidade de 2009 com um rombo superior a R$ 2 bilhões. E, na falta de dinheiro, o Ministério da Saúde priorizará os pagamentos de hospitais privados que prestam serviços à rede do SUS - Sistema Único de Saúde.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto