Porto Alegre, terça-feira, 16 de setembro de 2014. Atualizado às 22h36.
Hoje é Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
15°C
24°C
11°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,3420 2,3440 0,34%
Turismo/SP 2,1900 2,4500 0,40%
Paralelo/SP 2,2000 2,4600 0,40%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
139118
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira
adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 17/06/2010

Fim dos privilégios

Noventa e seis funcionários públicos do Estado recebem salário superior ao teto de R$ 26.723,13. Deste total, há 66 servidores do Tribunal de Contas do Estado (24 ativos e 42 aposentados). Estes números foram levantados a partir de um pente-fino nos salários dos funcionários dos Três Poderes, determinado pelo conselheiro João Osório, presidente do TCE.

O que veio à tona impressionou os contribuintes. Entre os funcionários públicos, os que mais ganham são justamemte os servidores do próprio Tribunal. A maioria, 80% deles, ganham entre R$ 6 mil e R$ 26 mil.

O maior percentual, 19%, ganha entre R$ 12 mil e R$ 15 mil. João Osório, causou um imenso mal-estar ao mexer nesta questão, até então intocável pelos seus antecessores. Recebeu muita pressão. Foi aconselhado a “deixar pra lá”.

Mas, com coragem levou o assunto adiante e “abriu a caixa preta”. E o que viu, não lhe agradou. O presidente do Tribunal de Contas do Estado constatou que, entre os servidores públicos, tem um grupo pequeno de privilegiados ganhando muito dinheiro, enquanto que a imensa maioria vive com salários irrisórios. Esta injustiça social é incontestável!

Sensível a tudo isso, João Osório determinou ontem o corte de todos os vencimentos acima do teto fixado para o servidor público, que é de R$ 26.723,13 no entendimento do Judiciário, equiparando-se ao salário de ministro do STF.

“Se está escrito que não pode ganhar mais, tem que cortar de quem está acima disso. Se o teto é de R$ 26 mil, como tem gente ganhando R$ 28 mil ou R$ 36 mil?”, questiona o presidente do TCE.

A ordem para descontar os valores excedentes ao limite constitucional no âmbito do TCE é válida a contar do mês de julho de 2010, excluídas as vantagens de cunho indenizatório. A decisão de João Osório prioriza a probidade administrativa. É um exemplo a seguir.

Casualidade

Não convidem para o mesmo restaurante os cidadãos Antônio Dornéu Maciel e Lair Ferst. Ontem, ao meio-dia, na Churrascaria Santo Antônio, os dois “dividiram o mesmo teto”. Primeiro chegou Dornéu Maciel, acompanhado do médico Luiz Pereira Lima. Os dois se dirigiram para uma sala executiva. Logo depois, chegou Lair Ferst, se dirigindo à mesma sala. Entrou, percebeu a presença de Maciel e saiu assustado. Como quem vê assombração. E os dois já tiveram interesses em comum: o Detran do Rio Grande Sul...

Golpe

O ministro Luiz Dulci, que passou oito anos escrevendo discursos que Lula não leu, resolveu recomendar ao staff da campanha de Dilma Rousseff que preste maior atenção às supostas consequências de “uma vitória avassaladora sobre a oposição nas eleições de outubro”. Ele acredita que Dilma leva no primeiro turno e teme que o hipotético “desespero dos inimigos possa criar uma reação golpista”. Cruzes!!!

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Perda de um amigo e jornalista exemplar PTB versus PSB
O governador Tarso Genro (PT) teve baixas ao longo do seu governo. Dois partidos que integraram sua base aliada deixaram de apoiá-lo: PSB e PDT
O recado do “guardião”
Após longo impasse, comissões aprovaram relatório do senador Luiz Henrique sobre o projeto de lei que estabelece novo indexador para as dívidas dos estados com a União
Cristãos novos do PDT
Depois de 20 anos, o PDT volta a ter reais chances de vencer uma disputa majoritária estadual

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto