Porto Alegre, sábado, 18 de novembro de 2017.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
20°C
25°C
12°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,2620 3,2640 0,48%
Turismo/SP 3,1800 3,3900 0%
Paralelo/SP 3,1900 3,4000 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  | 
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
638947
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
638947
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
638947
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Turismo 03/06/2010 - 17h03min

70% dos visitantes estrangeiros de fora da América do Sul são europeus

Uma pesquisa feita em albergues da juventude do Rio de Janeiro (RJ), Foz do Iguaçu (PR) e Salvador (BA) mostra que 70% dos visitantes estrangeiros de fora da América do Sul são europeus. Enquanto 19% dos turistas vêem da Inglaterra, mais de 13% são alemães.

Viajantes com idade entre 18 e 29 anos somam 73% do total. Cerca de 27% desses turistas ficam, em média, entre 26 a 30 dias no Brasil. Mas a média geral de visitação fica acima disso: 49 dias. Ou europeus superam o tempo médio de permanência, ficando cerca de 53 dias no país. "Esse tempo está bem além da duração de viagem dos viajantes convencionais", comparou o autor da pesquisa, Rui José Oliveira, consultor em turismo e professor universitário

Por isso, segundo a pesquisa, o turismo "backpacker" -  o chamado "turista independente" - deixa maior receita no Brasil que o turismo tradicional. "O mochileiro tem uma agenda de viagem mais flexível, vai descobrindo e reprogramando a rota, sem itinerário fixo. Em uma viagem, passa por diversos destinos, e apesar de ter um gasto diário menor e dar preferência por acomodações econômicas, acaba deixando mais dinheiro que os turistas tradicionais por permanecer na estrada por mais tempo", explicou Oliveira.

Segundo Oliveira, embora os "backpackers" procurem experiências e lugares singulares em suas viagens, destinos tradicionais não perdem espaço em seus roteiros. "As capitais continuam entre as cidades mais visitadas", mostrou o pesquisador.

A diversidade cultural do Brasil é a principal motivação de viagem para 30% desses visitantes. Mais de 80% dos turistas consultados afirmou costumar ir à praia em viagem ao país, de acordo com a pesquisa.

Oliveira apresentou os resultados na mesa redonda "Turismo para Mochileiros: uma alternativa de desenvolvimento", atividade do Núcleo do Conhecimento no 5º Salão do Turismo, no final de maio. O pesquisador entrevistou 248 estrangeiros, excluindo os sulamericanos.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Guias de Turismo já podem acessar gratuitamente pontos de interesse turístico
Segundo a portaria, que estabelece requisitos e critérios para a atividade de guia turístico, para poder acessar esses locais o guia deverá estar devidamente credenciado
Jornal britânico considera Brasil inseguro para a mulher viajar sozinha
Em relação ao Brasil, o jornal justificou sua escolha com dados do próprio Ministério da Saúde que afirmam que o número de estupros entre 2009 e 2012 aumentou em 157%
Embratur quer reformulação para agilizar funcionamento
Considerado enferrujado pelo Ministério do Turismo e por sua própria administração, o órgão avalia três propostas, e deve buscar um modelo híbrido 
Dois meses após a Copa, inflação das diárias de hotel ainda não cedeu completamente
Quase dois meses após o fim da Copa do Mundo, o efeito do Mundial sobre os preços de hotéis ainda não foi totalmente revertido

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e acessar
o arquivo do JC.


 
para folhear | modo texto