Porto Alegre, quinta-feira, 26 de abril de 2018.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
25°C
31°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,4980 3,5000 0,40%
Turismo/SP 3,4100 3,6300 0%
Paralelo/SP 3,4100 3,6300 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  | 
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
635893
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
635893
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
635893
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR
Repórter Brasília Edgar Lisboa
edgarlisboa@jornaldocomercio.com.br

Repórter Brasília

Coluna publicada em 06/08/2015

Julgamento parado

A crise nas contas do governo gaúcho é acompanhada de perto em Brasília. O Supremo Tribunal Federal ainda está julgando a legalidade do parcelamento de salários, solução do governo gaúcho ao desarranjo orçamentário profundamente criticada. O ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki pediu vista ao julgamento no qual o governo do Rio Grande do Sul questiona decisão do Tribunal de Justiça do Estado proibindo que os salários fossem pagos em três vezes. O ministro Ricardo Lewandowski já havia recusado o pedido do Palácio Piratini em maio.

Estado de caos

"É inadmissível que, no final do mês, apenas uma parte do vencimento esteja na conta. O que fará um servidor, um pai de família, como ficam suas contas, uma mãe de família? Os aposentados e pensionistas? Salário em dia é direito sagrado", disse o senador Paulo Paim (PT-RS). De acordo com ele, o Rio Grande do Sul vive um "estado de caos", já que o parcelamento provocou uma greve de mais de 40 categorias, entre policiais militares e civis, bombeiros, professores e funcionários da saúde. A paralisação gerou efeito cascata, já que os ônibus não saíram das garagens, e os bancos não abriram por conta do temor de insegurança.

Culpa do Planalto

Na opinião da senadora Ana Amélia (PP-RS), a culpa é do governo federal. "Costumam fazer festa com o chapéu alheio, à custa do sacrifício da receita dos estados e municípios", disse. De acordo com ela, os governadores viraram "administradores de dívidas", lançando mão de "malabarismos" para manter o governo funcionando. Foram depósitos judiciais, empréstimos em organismos internacionais. "O problema se agrava, porque as fontes secaram".

Redistribuição dos recursos

"Os municípios estão quebrados, o estado do Rio Grande do Sul está quebrado, não pôde pagar ao servidor público aquilo que é mais sagrado na vida do cidadão, o seu salário", comentou o coordenador da bancada gaúcha, deputado Giovani Cherini (PDT-RS). De acordo com ele, a solução é um novo pacto federativo, com a distribuição de recursos dividida em 40% para os estados, 30% para a União e 30% para os municípios.

Gaúcho no prefácio


A editora Nova Terra lançou o livro "Redes Sociais: Estratégias de Monitoramento", da jornalista Ana Célia Costa. No livro, ela explica que, há menos de cinco anos, os profissionais de monitoramento de mídias sociais ainda eram formados de maneira empírica, mas que "hoje já existem muitos cursos visando à qualificação" e que a "produção acadêmica vem crescendo". Para o prefácio, Ana Célia convidou o jornalista gaúcho radicado em Brasília Cassiano Sampaio, considerado pelo mercado como um dos maiores especialistas da América Latina nesta área.

Curta

O mercado de cervejas artesanais será tema de debate em Brasília nesta quinta-feira. A Associação Brasileira de Microcervejarias quer discutir a inclusão do setor no Simples Nacional. As pequenas cervejarias pagam a mesma quantidade de impostos que as grandes.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Golpe e corrupção
A sessão desta quinta-feira na Câmara deverá ser marcada principalmente por duas palavras: golpista e corrupto
Depósitos judiciais
Está sendo discutido no Supremo Tribunal Federal (STF) o uso de depósitos judiciais para pagar despesas públicas
Estatuto do Desarmamento
A comissão especial que trata do projeto de lei que revoga o Estatuto do Desarmamento deve votar o relatório do deputado Laudívio Carvalho (PMDB-MG) hoje
Brasil chinês
A Câmara dos Deputados aprovou a urgência na tramitação do projeto de lei que regula a compra de terras brasileiras por estrangeiros