Porto Alegre, sábado, 28 de fevereiro de 2015. Atualizado às 21h54.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
29°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,8540 2,8560 1,03%
Turismo/SP 2,7100 3,0500 0,32%
Paralelo/SP 2,7200 3,0600 0,32%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
196014
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

GREVE Notícia da edição impressa de 31/01/2014

Greve dos Correios no Estado começa com baixa adesão

Em greve desde a 0h desta quinta-feira, os funcionários da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) se reuniram em frente a agências em Porto Alegre. No centro de triagem dos Correios, de onde sai a maioria dos caminhões com correspondência, foi montado um acampamento por alguns carteiros que impedem a saída dos veículos.

O secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos (Sintect-RS), Vítor Rittmann, afirmou que o piquete deverá permanecer por tempo indeterminado. Segundo o assessor de imprensa e porta-voz da ECT no Rio Grande do Sul, Darci Martins da Rosa, a empresa já ingressou com um pedido na Justiça para retirar os funcionários da frente da garagem dos caminhões. Apesar do bloqueio feito pelos carteiros, a ECT garantiu que os serviços não estão sendo prejudicados ainda.

A principal reinvindicação do Sintect-RS é a manutenção dos benefícios do plano de saúde da categoria, que foi modificado no último acordo coletivo, ocorrido em outubro de 2013. O sindicato, que tem 60% dos associados participando da greve, ainda exige a possibilidade de realizar as entregas somente pela manhã, devido ao forte calor da tarde.

Dos 8.600 empregados dos Correios, apenas 1.300 cruzaram os braços nesta quinta-feira, representando apenas 15% do todo, segundo o porta-voz da ECT. Em Santa Maria, onde há outro forte sindicato de carteiros, não houve paralisação. Segundo a empresa, a entidade do Interior mantém mensalmente um diálogo em mesas de negociações.

Em todo o Brasil, pelo menos 15 dos 35 sindicatos aderiram à greve. Os Correios ressaltaram que as agências e centros de distribuição domiciliar estão operando normalmente.

COMENTÁRIOS
alexandre costa - 01/02/2014 - 22h07
Eu trabalho nos Correios, sou carteiro e, infelizmente, a empresa mente descaradamente para a população.Como que as agencias e cdd`s estão normais se não há gente o suficiente para trabalhar? Certamente a empresa contratou "MOT" ( mão de obra terceirizada),gente que não dá o menor valor às correspondências, que faz um trabalho porco!

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
TST determina que 80% dos aeroviários e aeronautas trabalhem na greve de amanhã
De acordo com a nota, o TST estabeleceu multa diária de R$ 100 mil caso a determinação não seja cumprida
Pilotos e comissários decidem fazer paralisação a partir do dia 22
A medida é um protesto contra a proposta salarial oferecida pelas empresas aéreas, classificada de "inaceitável" pelos trabalhadores
Metalúrgicos apresentam pauta a Rossetto e pedem readmissão na Volkswagen
Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos, Rossetto se comprometeu a tentar negociar um acordo entre a montadora e os sindicalistas
Metalúrgicos da Embraer suspendem greve e sindicato vai pedir aumento na Justiça
O sindicato da categoria vai pedir na Justiça a concessão de aumento salarial de 10%

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto