Porto Alegre, quinta-feira, 21 de agosto de 2014. Atualizado às 08h42.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
14°C
27°C
14°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2610 2,2630 0,57%
Turismo/SP 2,1400 2,4100 0,83%
Paralelo/SP 2,1500 2,4200 1,25%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
204097
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Palavra do Leitor Roberto Brenol Andrade
opiniao@jornaldocomercio.com.br

Palavra do Leitor

Coluna publicada em 28/01/2014

Fepam

Muito elucidativa e pertinente a entrevista do presidente da Fepam, Nilvo Silva (Jornal do Comércio, 27/01/2014). Tive o prazer de contar com ele na Smam (1989-92), e sempre demonstrou competência, probidade e dedicação. Só discordo de sua afirmação de que “há falta de discussão pública sobre as questões ambientais”. Não mesmo: diuturnamente, principalmente nas páginas do JC, entidades e a cidadania estão debatendo e clamando contra os atentados ambientais perpetrados tanto pelo setor privado quanto pelo poder público. O que ocorre é um desencanto completo pelos abusos cometidos, e sem que os órgãos ditos competentes (inclusive Judiciário, com raras exceções) deem respostas positivas à sociedade. Basta ver que a Agapan, cansada da ineficácia e insensibilidade do Conselho Estadual do Meio Ambiente, dele se retirou. Nesta cidade e no Estado, remanescem situações graves e irresolvidas, como a poluição do Guaíba por substâncias tóxicas, a ocupação lesiva da orla etc. Fique tranquilo, meu amigo Nilvo Silva: a “discussão pública”, que não arrefeceu, há de continuar, e cada vez mais forte, neste e nos próximos anos, contestando esse desenvolvimentismo predatório que aí está. (Caio Lustosa, ex-secretário municipal do Meio Ambiente de Porto Alegre, 1989-92)

Contrabando

Li na coluna Palavra do Leitor (JC, 24/01/2014) a indignação de uma senhora com as pessoas que ultrapassam o limite de gastos imposto pelo governo em relação às compras efetuadas no exterior, sobretudo na cidade uruguaia de Rivera. É inegável que há contravenção. Mas por que as pessoas assumem o risco de ter seus bens confiscados, submetendo-se a sanções administrativas e até penais? Os produtos no estrangeiro, além da qualidade superior aos nacionais, são absurdamente mais baratos. O problema dos preços escorchantes no Brasil se deve à alta carga tributária atribuída aos produtos de consumo e à alta margem de lucro imposta pelo comércio varejista. (Luiz Alberto Barbará González Filho, advogado)

Segurança

Circulando a pé pela nossa querida Porto Alegre, noto a falta de policiamento ostensivo, o que me deixa totalmente inseguro, assim como as demais pessoas. Gostaria de saber: quando teremos policiamento suficiente para uma cidade de quase 1,5 milhão de habitantes, como é o caso de Porto Alegre? (Julio Cesar de Souza Cabral, Porto Alegre)

Boate Kiss

Gostei muito das reportagens sobre a tragédia da boate Kiss (JC, 27/01/2014). Concisa e abordando todos os pontos. (Carlos Alberto)

Boate Kiss II

Parabéns ao Jornal do Comércio e à jornalista Jessica Gustafson pela reportagem sobre a boate Kiss. (Ana Maria)

Na coluna Palavra do Leitor, os textos devem ter, no máximo, 500 caracteres, podendo ser sintetizados. Os artigos, no máximo, 2 mil caracteres, com espaço. Os artigos e cartas publicados com assinatura neste jornal são de responsabilidade dos autores e não traduzem a opinião do jornal. A sua divulgação, dentro da possibilidade do espaço disponível, obedece ao propósito de estimular o debate de interesse da sociedade e o de refletir as diversas tendências.

Na coluna Palavra do leitor, os textos devem ter, no máximo, 500 caracteres, podendo ser sintetizados. As cartas publicadas com assinatura nesta página são de responsabilidade dos autores e não traduzem a opinião do jornal. A sua divulgação, dentro da possibilidade do espaço disponível, obedece ao propósito de estimular o debate de interesse da sociedade e o de refletir as diversas tendências.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Porto de Pelotas
Esqueceram que o porto foi sufocado pela cidade.
Registro de Imóveis
Serviço delegado pela Justiça deveria ser fiscalizado pela direção do Foro, porém nada acontece
Bonde em Porto Alegre
Secretaria de Turismo de Porto Alegre informa que o projeto de instalação do Bonde Histórico no Centro da Capital não está parado
Foro privilegiado
O foro privilegiado é uma das excrescências políticas e legais atualmente em vigor

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto