Porto Alegre, quinta-feira, 23 de outubro de 2014. Atualizado às 02h11.
Hoje é Dia da Aviação e do Aviador.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
17°C
29°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,4780 2,4800 0,12%
Turismo/SP 2,3500 2,6700 1,13%
Paralelo/SP 2,3600 2,6700 0,75%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
118328
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Repórter Brasília Edgar Lisboa
edgarlisboa@jornaldocomercio.com.br

Repórter Brasília

Coluna publicada em 10/12/2009

Livre acesso à informação

“Dizem que o parlamento é um poder transparente, mas todos os poderes e todos os órgãos devem ser transparentes”. Foi com essas palavras que o deputado Mendes Ribeiro Filho, vice-presidente da bancada do PMDB, definiu o parecer dado ao projeto de lei que garante o livre acesso à informação pública. Apoiado pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (Agert) e por jornalistas investigativos, esse projeto vai regulamentar o Artigo 5º da Constituição, que garante o livre acesso à informação dos Três Poderes. Segundo o parlamentar, a pressa não é de votar essa lei, mas de torná-la realidade. “E esse é o grande lance do projeto. Acabou o sigilo. Segredo de Fátima para quê?”, completa o deputado. Segundo Mendes Ribeiro Filho, esse projeto deve ser aprovado em dezembro na Comissão de Acesso à Informação e votado no plenário em março.

Para Heinze, lei faz parar produção

A Comissão Especial da Câmara dos Deputados que analisa as propostas dos novos códigos ambiental e florestal realiza audiência pública, nesta sexta-feira, em Porto Alegre, para debater com lideranças dos diversos segmentos da economia gaúcha temas como os efeitos das normas que obrigam a averbação de 20% de cada propriedade rural para reserva legal. Neste mesmo dia, vence o prazo prorrogado do ano passado pelo presidente Lula. “Os produtores estão na expectativa de uma nova Medida Provisória”, afirma o deputado Luis Carlos Heinze, do PP gaúcho, coordenador do evento no Rio Grande do Sul. “E isso é o pavor dos produtores gaúchos.”

Para mostrar a gravidade da situação, Luis Carlos Heinze diz: “o que acontece hoje, só no Rio Grande do Sul, para que se tenha uma ideia do problema, se aplicarmos a lei conforme ela está, teremos 6 milhões de hectares de Áreas de Preservação Ambiental (APP) que os produtores são donos das terras, mas não podem utilizá-las”. Além disso, enfatiza o deputado, “nós temos mais a recomposição das matas ciliares, aproximadamente dois milhões de hectares, que está sendo colocada por conta dos agricultores. E, se como isso não bastasse, a reserva legal toma mais cinco milhões de hectares dos produtores. Portanto, a metade do Rio Grande do Sul fica engessada. Ou seja, nós temos que  parar. Diminuir a produção de grãos: arroz, soja, trigo, milho. Diminuir a produção de carne, frango, suíno, leite, entre outros”, protesta o parlamentar.

“Esse é o problema”, reclama assinalando que será “o caos”. Segundo dados que a Federação dos Trabalhadores na Agricultura e a Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Fetag-RS) têm indicado, mais de cem mil propriedades rurais fecham as porteiras no Estado. “É um problema sério para a economia do Rio Grande do Sul.”

Curtas

• Para a deputada Manuela D’Ávila (PCdoB), o nome “CPI do MST” está errado. Segundo ela, o objetivo da comissão é investigar repasses irregulares do governo para a reforma agrária, e não o MST em si.

A diferença entre as agências de publicidade em Brasília e em Porto Alegre é que as brasilienses atendem principalmente ao governo e as gaúchas à iniciativa privada. Essa é a avaliação de Luciana Almeida, ex-diretora de mídia da Competence de Porto Alegre e hoje na Lew, Lara/TBWA em Brasília.

• O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) é um dos convidados de Luis Carlos Heinze (PP) para debater com professores, magistrados e lideranças a legislação ambiental. Será no Hotel Continental, às 15h desta sexta-feira.

Novas regras para TV por assinatura votadas na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados.


COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Vitória sem participação
Os produtores de fumo brasileiros tiveram uma vitória na COP 6, a Conferência das Partes da Convenção-Quadro para Controle do Tabaco
PSDB menor
Ao contrário do PSDB nacional, que aumentou a bancada de deputados federais e disputa o segundo turno à presidência com boas chances, o PSDB gaúcho está definhando
As várias capitais
Outros cinco municípios tentam conseguir o título de “capital nacional”, sendo que dois são gaúchos
Divisões amargas
Se o segundo turno dessas eleições deixou o Brasil mais dividido, as divisões que já existiam dentro do Congresso ficaram mais amargas. Partidários de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) se digladiam nas poucas sessões entre os dias 5 e 26 de outubro

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto