Porto Alegre, segunda-feira, 01 de setembro de 2014. Atualizado às 22h24.
Hoje é Feriado nos EUA - Dia do Trabalho.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
14°C
24°C
15°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,2430 2,2450 0,26%
Turismo/SP 2,1100 2,3800 0%
Paralelo/SP 2,1200 2,3900 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
105279
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira
adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 07/12/2009

Fogaça em março

O senador Neuto do Conto, eleito por Santa Catarina, mas gaúcho de nascimento declarou no fim-de-semana a uma emissora do interior do Estado, que o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça confidenciara a amigos, que seria obrigado a aceitar sua candidatura ao Piratini, liderando a mesma coligação que o elegera para a prefeitura da Capital. “Não existe outro nome. Fogaça é o nome”, disse o senador. Outra declaração forte foi feita pelo deputado federal, Mendes Ribeiro Filho, numa homenagem que recebeu de companheiros. Ribeiro disse - sem colocar pressão no prefeito - que estava na festa - que em política tudo tem seu tempo e que o tempo do PMDB é março. “Só em março o PMDB irá se manifestar sobre a candidatura ao governo”. Ora, para bom entendedor.... A touca cabe perfeitamente na cabeça de Fogaça. Ele deverá aceitar a indicação de seu nome só em março, porque até lá, as articulações políticas favorecerão a formação de uma ampla coligação já montada para a eleição e repetida para a reeleição de Fogaça para a prefeitura de Porto Alegre. Hoje, às 15h, o presidente do PMDB gaúcho, Pedro Simon, principal avalista da candidatura de José Fogaça, dará uma coletiva à imprensa, na sede do diretório regional. Simon deve falar sobre a candidatura própria do governador do Paraná, Roberto Requião, à presidência da República. Mas, as mais insistentes questões a serem apresentadas pelos jornalistas estão ligadas ao nome do futuro candidato do partido à sucessão de Yeda Crusius: José Fogaça.

Banrisul

O presidente do Banrisul, Fernando Lemos, acompanhado da governadora do Estado, Yeda Crusius, anunciará à imprensa o volume de recursos que o banco disponibilizará em 2010 nas suas respectivas linhas de crédito. Além disso, Lemos, juntamente com a diretoria da instituição, apresentará as perspectivas econômicas para o próximo ano. O evento será na próxima quarta-feira, às 10h30min, no salão nobre do Banrisul.

Imprensa

O jornal paulista Diário de S.Paulo, que é controlado pelo empresário esportivo J. Hawilla, será relançado ano que vem, depois de concluído o novo projeto gráfico e editorial que está sendo criado por Marcos Sá Corrêa. De cara, poderá contar com dois colunistas: de um lado, César Giobbi, que voltará a assinar sua página social; de outro, Arnaldo Jabor e o próprio J. Hawilla.

Propinoduto

Já medicado com quatro Lexotans de três miligramas por dia e alternando períodos de ira com outros de depressão, com direito a choro, o governador José Roberto Arruda começa a acreditar que todas as investigações da Operação Caixa de Pandora foram baseadas em indícios arquitetados pelo vice-governador Paulo Octavio para a sua derrubada, ainda inconformado com sua decisão de concorrer à reeleição para o governo do DF. Essa conspiração começou a brotar na cabeça de Arruda, depois que ele soube que Paulo Octávio chamara o “propinoduto” do DF de esquema amador.

Sem confusão

O PT não quer a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, no meio de confusões. Para este fim de ano, o partido preparou uma agenda que passa longe de estados onde a relação com o PMDB beira uma luta fratricida. Pará, Bahia, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro não devem recebê-la antes de haver uma pacificação entre os partidos.

Corrupção no setor privado

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) lançará nesta quarta-feira um relatório inédito elaborado pela ONG Transparência Nacional que analisa a corrupção no mundo do ponto de vista do setor privado. O lançamento será feito durante o seminário Superando a Cultura da Corrupção, que ocorre nos dias 9 e 10, na sede do Tribunal de Contas da União (TCU) em Brasília. O encontro vai debater as ações que estão sendo desenvolvidas pela sociedade para combater a corrupção e a impunidade.

COMENTÁRIOS
Lena - 07/12/2009 - 12h15
Sem confusão-O PT já arrumou todas as confusões, falcatruas, mentiras sob o comenda de um lesa-pátria. Dilma por apoiar isso já fez tudo o que se podia imaginar.PT é um partido que deve ser eliminado da politica por ser altamente prejudicial a democracia do Brasil.


Lena -
07/12/2009 - 12h48
Corrupção no Setor Privado - Não vejo por onde o setor público arrumará moral para pregar anti-corrupção para o setor privado. Basta analisar o que já se viu na política. Seria uma tentativa desesperado em tentar esconder/transferir responsábilidade e fazer do profissional do setor privado um cidadão de segunda classe? Corrupção no Lula&PT, Arruda&DEM, aposentadorias "especiais", desvio de recursos da previdência, exorbitâncias gastas com cartões corporativos, diárias, passagens etc. Isso é um verdadeiro descalabro. "Faxinar" a política brasileira é o começo e o setor privado entrará nos eixos com base no exemplo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Perda de um amigo e jornalista exemplar PTB versus PSB
O governador Tarso Genro (PT) teve baixas ao longo do seu governo. Dois partidos que integraram sua base aliada deixaram de apoiá-lo: PSB e PDT
O recado do “guardião”
Após longo impasse, comissões aprovaram relatório do senador Luiz Henrique sobre o projeto de lei que estabelece novo indexador para as dívidas dos estados com a União
Cristãos novos do PDT
Depois de 20 anos, o PDT volta a ter reais chances de vencer uma disputa majoritária estadual

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto