Porto Alegre, quinta-feira, 23 de outubro de 2014. Atualizado às 02h11.
Hoje é Dia da Aviação e do Aviador.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
18°C
29°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 2,4780 2,4800 0,12%
Turismo/SP 2,3500 2,6700 1,13%
Paralelo/SP 2,3600 2,6700 0,75%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  |  ATENDIMENTO ONLINE
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
171013
Repita o código
neste campo
 
 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

inter Notícia da edição impressa de 20/11/2013

Willians acredita que episódio no vestiário em Goiânia fortalece a união do grupo

ITAMAR AGUIAR/FUTURA PRESS/JC
Volante disse que houve apenas uma  ‘conversa’
Volante disse que houve apenas uma ‘conversa’

O dia de ontem no Inter foi de reapresentação, conversa particular de D’Alessandro com Rafael Moura por cerca de cinco minutos e da primeira manifestação de um jogador do grupo a respeito de episódios que teriam ocorrido no vestiário do Serra Dourada após a derrota para o Goiás. O volante Willians rechaçou qualquer briga entre os atletas, conforme informaram funcionários do estádio.

“Teve uma conversa, nenhuma discussão ou briga. A equipe que quer vencer, se não tiver cobrança dentro do vestiário, não é um grupo”, disse. Ele admitiu que todos deixaram o gramado de “cabeça quente”. “Sabemos que os outros times estão subindo e somando pontos. Não podíamos perder. Conversamos e houve um pouco de alteração porque todos nós estamos nos cobrando”, acrescentou.
Para Willians, essa situação será usada em prol da equipe nesta reta final de Campeonato Brasileiro. “Nos deixa mais unidos. Uma equipe grande precisa ter diálogo. Não temos que dar bola para funcionário de vestiário que fica escutando atrás da porta e que não tem nada o que fazer.”

O zagueiro Juan, recuperado de lesão, participou da primeira atividade da semana normalmente e se credenciou para recuperar seu posto na equipe. Por outro lado, o lateral Cláudio Winck, com lesão muscular na coxa direita, foi vetado pelo departamento médico e não enfrenta o Coritiba, domingo, em Caxias do Sul. Ainda correm por fora para tentar ficar à disposição Ednei, Leandro Damião, Kleber e Gabriel, que seguem em tratamento fisioterápico e em atividades de recuperação física, além de Scocco, que também realiza tratamento na fisioterapia. Estes não deverão ter condições de entrar em campo. Para buscar a vitória e acabar com qualquer risco de rebaixamento, o Inter pensa em uma mobilização especial para a partida do final de semana.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Alex chora e desabafa no Inter: 'É muita cobrança'
Ele chegou a chorar ao exibir alívio com o resultado e também aproveitou para rebater críticas sofridas após a surpreendente goleada por 5 a 0 levada diante da Chapecoense
D'Alessandro fica no Internacional até 2017
D'Alessandro renova contrato com o Inter até 2017
Nilmar é recebido com alegria no Internacional
Apresentado com festa, Nilmar diz que deve tudo ao Inter
Nilmar retorna ao time que o projetou
Nilmar fecha contrato milionário e retorna ao Inter pela terceira vez

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto