Porto Alegre, sábado, 23 de setembro de 2017.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
26°C
15°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,1270 3,1290 0,50%
Turismo/SP 3,1100 3,2700 0,30%
Paralelo/SP 3,1100 3,2700 0,30%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  | 
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
159409
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
159409
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
159409
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira
adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 22/10/2009

Assim falou Yeda Crusius

Um dia depois de ver sepultada pela base aliada na Assembleia Legislativa o pedido de impeachment que tramitava contra ela, a governadora Yeda Crusius (PSDB) voltou a “enfrentar” a imprensa, ontem pela manhã, no Palácio Piratini.

Dona Yeda justificou seu retorno à mídia como solução para resolver todas as dúvidas dos gaúchos com relação a sua atuação na chefia do governo do Estado: “segmentos radicais da oposição tem conseguido lançar dúvidas quanto à honradez da governadora, eleita pelo voto popular. Mesmo que não haja uma única prova, sei que eles não vão parar”.

A governadora disse que há solidariedade enorme do povo para com ela. Dizendo-se candidata à reeleição, dona Yeda reconhece que cometeu dois erros graves: escolher Paulo Feijó (DEM) como candidato a vice-governador e comprar uma casa para morar, tão logo se elegeu.

Ela reiterou que foi uma compra legal, limpa e transparente, ainda que tenha provocado desconfiança na população. A governadora, emocionada durante o desabafo e na presença do secretariado, declarou-se vítima de ataques infundados e injustos: “sofri na pele a dor da injustiça”, reclamou.

Ao falar sobre o Detran, Yeda Crusius disse que não errou, relatando detalhes de suas decisões, tão logo soube do escândalo. Durante a entrevista coletiva à imprensa, dona Yeda também falou sobre a compra de móveis, feitas pelo governo para mobiliar a sua residência.

Livre das acusações, Yeda Crusius anunciou que “vai andar pelo Rio Grande e conversar com os gaúchos, desfazendo às dúvidas que por ventura ainda existam”.

De olho na reeleição.

Articulações

Orestes Quércia (PMDB), ex-governador de São Paulo, anda articulando pelo Rio Grande com vistas a buscar apoio do PMDB regional para a candidatura de José Serra (PSDB) à presidência da República. Sem ter procurado a governadora Yeda Crusius, correligionária de Serra, Quércia já falou com o ex-governador Germano Rigotto (PMDB) e com o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), dois prováveis candidatos ao governo do Estado. O deputado federal Eliseu Padilha, secretário geral do diretório é favorável à articulação. Não se sabe ainda qual é a posição do senador Pedro Simon, presidente do PMDB gaúcho. Depois de algumas brigas internas é possível pensar que o que é bom para Padilha, talvez não seja bom para Simon.

Aliança

Tudo acertado: o PMDB nacional apóia a candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT) à presidência da República e garante participação na chapa, com o deputado federal Michel Temer (PMDB-SP), como candidato à vice. Ciro Gomes, do PSB, que almeja concorrer, descontente com o acordo, saiu-se com essa: “espero que o PMDB entregue o que está prometendo. Espero também que os termos da aliança, sejam confessáveis”. Amigo, hein!!! Vem chumbo grosso, aí.

Obras e comícios

Sem precedentes as críticas do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, à visita feita pelo presidente Lula, Dilma Rousseff, Ciro Gomes, Aécio Neves e comitiva às obras de transposição do rio São Francisco. Mendes qualificou a visita como um “vale-tudo”. “É lícito transformar um evento rotineiro de governo num comício? Se houver desigualdade na disputa eleitoral, o órgão competente da Justiça tem que ser chamado para evitar esse tipo de vale-tudo. Pelas descrições que vimos na mídia, está havendo sorteio, entrega, festas, cantores. Em suma, isto é o modo de fiscalizar tecnicamente uma obra?” Bah!!! Me caíram os butiás dos bolsos!!!

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Perda de um amigo e jornalista exemplar PTB versus PSB
O governador Tarso Genro (PT) teve baixas ao longo do seu governo. Dois partidos que integraram sua base aliada deixaram de apoiá-lo: PSB e PDT
O recado do “guardião”
Após longo impasse, comissões aprovaram relatório do senador Luiz Henrique sobre o projeto de lei que estabelece novo indexador para as dívidas dos estados com a União
Cristãos novos do PDT
Depois de 20 anos, o PDT volta a ter reais chances de vencer uma disputa majoritária estadual

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e acessar
o arquivo do JC.


 
para folhear | modo texto