Antonio Giacomin e Nivaldo Pereira apresentam Jeitos de ser Brasil"> Antonio Giacomin e Nivaldo Pereira apresentam Jeitos de ser Brasil">

Porto Alegre, domingo, 20 de agosto de 2017.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
15°C
17°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,1450 3,1470 1,00%
Turismo/SP 3,1500 3,3100 0%
Paralelo/SP 3,1500 3,3100 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  | 
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
147150
Repita o código
neste campo
 
 
FEIRA DO LIVRO. De 26 de outubro a 11 de novembro em Porto Alegre.

MENU
Últimas notícias
JC na Feira do Livro
 
Troféu Cultura Econômica
Premiados
Comissão Julgadora
Fotos da Premiação
ARQUIVO
Hotsite Feira 2011
Hotsite Feira 2010
 
imprimir IMPRIMIR

30/10/2012 - 20h04min

Multiculturalidade brasileira em pauta

Deborah Cattani

Rômulo Valente/CRL 2012
Leitores participaram do bate-papo com os autores
Leitores participaram do bate-papo com os autores

A imagem carrega mais que mil palavras, mas muitas vezes ela se apoia ou traz consigo a necessidade de um texto que vá além da tela de pintura. Essa é a estrutura da obra Jeitos de ser do Brasil, de Antonio Giacomin e Nivaldo Pereira. Nesta terça-feira (30), eles receberam o público da 58ª Feira do Livro para um bate-papo amigável sobre a temática do dia: viagem. O evento foi na sala Leste, do Santander Cultural, às 15h30min e, logo após, eles autografaram na praça.

Jornalista, mestre em letras e cultura regional e escritor, Pereira é baiano, mas mora no Rio Grande do Sul (RS) há quase 20 anos. Mesmo assim, não perdeu por completo o sotaque, apesar de afirmar ter incorporado o ritmo acelerado dos gaúchos. Giacomin é artista plástico, natural de Caxias do Sul, no entanto radicou-se no mundo da aquarela e nos anos 1980 lançou-se no mercado da arte. 

Escrever com tinta, pintar com letras, foi assim que eles começaram. Giacomin já tinha tido uma experiência prévia, em 2007, com a obra Poesias em aquarela. Processo resultante das viagens percorridas pelo RS. Partindo dessa bagagem, o artista decidiu criar um novo roteiro, maior, mais complexo e chamou o jornalista para a parceria. Foi dessa junção que saiu o mapeamento pictórico de Jeitos de ser do Brasil.

“Queríamos aprender um pouco sobre a cultura brasileira, esse país multiétnico, continental, diverso como a própria natureza”, brinca Pereira. Entretanto, a ideia custaria caro, pois envolvia deslocamento e custo de produção da publicação, em função do tratamento gráfico. Eles se inscreveram em um programa de incentivo governamental e garantiram a concretização do plano. 

A partir daí, o objetivo passou a ser captar o Brasil cotidiano, corriqueiro, fora dos cartões postais e das revistas de turismo que ilustram os corredores de aeroportos. Pereira explica: “A ideia era percorrer o país, cada um com seu olhar, tentar fisgar, prender alguns recortes. Fazer uma espécie de mapeamento, sem nenhuma pretensão de ser formal.”

Durante um ano, eles cobriram todas as regiões do país. Sempre tentando incluir uma capital e uma cidade interiorana nos estados que percorriam. O livro prosaico está dividido em cinco capítulos, os caminhos: do tempo, do suor, do céu e do prazer. O último é um making of, onde eles descrevem como foi a fase de criação.

“Me permiti ir com a água da aquarela, fazer um texto fluido”, conta Pereira, que viu nessa experiência uma oportunidade de fugir da imparcialidade e ser subjetivo. “Mas essa caminhada Brasil a fora tem sua dificuldade, porque nós temos uma palheta de cores intensas, o jeito de ser diferente do brasileiro, a geografia diferente”, ressalta Giacomin.

Na plateia lotada, o canadense Denis Beauchamp fez um elogio aos autores. Para ele, que está no Brasil há nove anos, o país é “ótimo, cheio de pessoas alegres, contentes e uma energia maravilhosa”.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR