Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 15 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

Alterada em 15/05 às 12h02min

Após nove altas, indicador antecedente cai 0,8% em abril, diz FGV

O indicador antecedente composto da economia (IACE), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e pelo The Conference Board, caiu 0,8% em abril ante março, para 116,9 pontos, após nove meses seguidos de alta. Das oito séries componentes, cinco contribuíram para a queda do indicador, segundo as instituições.
O Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE) do Brasil, que mensura as condições econômicas atuais, também recuou (-0,2%) no mesmo período, atingindo 101,3 pontos.
O recuo do IACE em abril foi influenciada, conforme o pesquisador do Ibre/FGV Paulo Picchetti, pela frustração em relação ao ritmo de retomada da economia. Diante disso e da quarta queda consecutiva no ICCE, Picchetti admite que aumentou ligeiramente a chance de reversão do ciclo de recuperação econômica. "Por enquanto, um crescimento da atividade ao longo do ano continua a ser esperado, mas em menor intensidade", pondera Picchetti.
O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil.
Segundo o Ibre/FGV, esses componentes vêm se mostrando individualmente eficientes em antecipar tendências econômicas. "A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados 'ruídos', colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia