Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 16 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 16/05/2018. Alterada em 15/05 às 21h19min

Frases e personagens

Raul Jungmann

Raul Jungmann


FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL/JC
"O atual nível de crescimento da população carcerária do Brasil é insustentável. É preciso encarar a situação." Raul Jungmann (PPS), ministro da Segurança Pública.
"Em 1990, nós tínhamos 90 mil presos. Hoje, são 726 mil, a terceira maior população carcerária do mundo. Crescemos a uma ordem de 7%. O déficit de vagas é de mais de 358 mil." Também Raul Jungmann.
"As vendas de Dia das Mães na Capital foram 5% negativas. O tíquete médio para a data foi de R$ 200,00 sendo que 13,3% dos entrevistados gastaram R$ 500,00 ou mais. Segundo os lojistas, a queda nas vendas ocorreu especialmente por conta de dois fatores: baixo movimento (44%) e crise financeira (33%)." Paulo Kruse, presidente do Sindilojas Porto Alegre.
"O resultado dessa pesquisa confirmou um certo pessimismo do comércio para este Dia das Mães. Embora esta seja a segunda data mais importante para o varejo, o aumento nas vendas não ocorreu da forma desejada, especialmente em função do clima. Esperamos que uma provável queda nas temperaturas venha a favorecer as vendas no Dia dos Namorados." Também Paulo Kruse.
"O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) vai revisar para baixo a previsão do Produto Interno Bruto (PIB) de 2018 por conta da avaliação de dados econômicos divulgados, que indicam uma atividade econômica mais fraca. Quando se olha apenas para alguns dados, a oscilação no curtíssimo prazo é muito grande, mas isso não deveria gerar mudanças bruscas de expectativas." José Ronaldo de Castro Souza Júnior, diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas.
"Em março, o Ipea estimava que o crescimento do primeiro trimestre seria de 1,9% comparando com o primeiro trimestre de 2017. Para 2018, a previsão era de alta de 3%. A taxa de juros baixa e a maior oferta de crédito foram os motivos de melhora em setores como bens de capital e bens de consumo duráveis." Também José Ronaldo de Castro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia