Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 15 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

relações internacionais

Alterada em 15/04 às 15h49min

EUA devem impor novas sanções contra Rússia por causa da Síria

A embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas, Nikki Haley, afirmou neste domingo que o país imporá mais sanções econômicas contra a Rússia. O motivo é o apoio de Moscou ao presidente sírio, Bashar al-Assad, e ao aparente uso de armas químicas.
Haley disse que o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, anunciará nesta segunda-feira as sanções, que afetarão companhias que "lidam com equipamento relacionado a Assad e o uso de quaisquer armas químicas".
Em entrevista à rede CBS, Haley afirmou que a Rússia precisa sofrer as consequências por proteger o regime de Assad. Ela lembrou que os russos vetaram seis resoluções do Conselho de Segurança da ONU sobre armas químicas.
Haley disse ainda que o fato de que Assad usava armas químicas como algo "mais normal e que a Rússia encobre isso, tudo isso precisa parar".
Ativistas da oposição síria e equipes de resgate afirmam que um ataque químico na cidade de Douma, perto da capital síria, matou mais de 40 pessoas em 7 de abril. O regime sírio nega que tenha ocorrido um ataque químico. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia