Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 15 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

gente

Alterada em 15/04 às 15h17min

Morre, aos 88 anos, o cineasta Vittorio Taviani

Taviani e seu irmão Paolo assinaram alguns dos mais notáveis filmes italianos

Taviani e seu irmão Paolo assinaram alguns dos mais notáveis filmes italianos


GERARD JULIEN/AFp/JC
Morreu em Roma, aos 88 anos, o cineasta Vittorio Taviani que, com seu irmão Paolo, assinou alguns dos mais notáveis filmes italianos das últimas décadas. O mais famoso, talvez, Pai Patrão, que recebeu a Palma de Ouro no Festival de Cannes de 1977.
Ao todo, a dupla assina 15 longas-metragens, um melhor do que o outro, como A Noite de São Lourenço, Kaos, Bom Dia Babilônia, As Afinidades Eletivas e outros. Com prisioneiros de um cárcere romano, encenaram Shakespeare, em César Deve Morrer. E, na última obra, Maravilhoso Boccaccio, retornam ao clássico Decamerão para falar da nossa sociedade contemporânea.
Fortemente influenciado pelo neorralismo, a escola italiana do pós-guerra, Vittorio, junto com seu irmão, centrou seu cinema em temas sociais, mas adicionou a ele uma gloriosa pitada de poesia, que se traduzia em imagens magníficas, que permanecem em nossas retinas.
O cinema italiano fica mais pobre com a morte de Vittorio. Mas não apenas o cinema italiano, pois Taviani passou a ser um nome internacional, imprescindível, uma marca registrada do cinema de cunho humanista.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia