Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

greve

26/04/2018 - 09h32min. Alterada em 26/04 às 11h00min

Professores do IPA entram em greve em Porto Alegre

Alunos da instituição fizeram ato em apoio à decisão dos professores

Alunos da instituição fizeram ato em apoio à decisão dos professores


SINPRO-RS/DIVULGAÇÃO/JC
Professores do Centro Universitário Metodista IPA decidiram entrar em greve a partir desta quinta-feira (26). A paralisação das atividades foi decidida em assembleia da categoria na tarde de ontem (25), na sede estadual do Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinpro/RS), em Porto Alegre. A categoria protesta contra atrasos de salários e indefinição sobre os próximos vencimentos.
A instituição tem 250 professores e o sindicato acredita que a maioria aderiu à greve. De acordo com o diretor do Sinpro/RS, Marcos Fuhr, os atrasos nos pagamentos vem ocorrendo desde o segundo semestre de 2017, mas as quitações de março estão com atraso maior, já nada foi pago para a maioria dos docentes até este fim de abril. "O problema não é de hoje. Em dezembro, o sindicato entrou com ação na justiça e implementou multas à instituição. É uma situação que vem se agravando e isso que deixa os professores mais preocupados", afirmou Fuhr.
Em carta aberta à comunidade acadêmica, os professores esclareceram os motivos da greve e afirmaram que desde 2017 enfrentam "graves problemas administrativos", como atraso de salários, falta de diálogo com a instituição, falta de material para aulas práticas, entre outros.
"Compreendemos e nos solidarizamos com o momento econômico crítico que muitas Instituições de Ensino Superior vêm enfrentando, e é exatamente por isso que queremos nos aliar na busca de estratégias para o enfrentamento dos desafios que se apresentam. Para tanto, pleiteamos um diálogo franco e aberto com os gestores da Rede Metodista de Educação, com o objetivo de compreendermos as políticas institucionais e os rumos da gestão, engajando-nos no processo", diz a carta.
A reportagem do Jornal do Comércio entrou em contato com o IPA, mas a direção, através da assessoria de imprensa, disse que ainda não tem um posicionando sobre a greve.
Nesta quinta-feira, haverá uma reunião entre o Sinpro/RS e representantes da gestão da Rede Metodista de Educação. Na próxima quarta-feira (2), uma nova assembleia vai avaliar o processo e definir os rumos da mobilização.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia