Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

Notícia da edição impressa de 17/04/2018. Alterada em 16/04 às 21h23min

Trecho da avenida Farrapos será desbloqueado até o dia 27

Isabella Sander
O trecho da avenida Farrapos bloqueado para a construção da trincheira da avenida Ceará será liberado na semana que vem. A prefeitura estima que, até o dia 27 de abril, uma sexta-feira, a via será reaberta para o trânsito de veículos. A obra foi iniciada em 2012, com previsão de conclusão para a Copa do Mundo de 2014.
A obra da trincheira foi retomada no final de março, depois que o município fez um empréstimo junto ao Banrisul e pagou dívida de R$ 3,4 milhões com o consórcio responsável pela construção, formado pelas empresas Conpasul, Sogel Ltda. e Toniolo Busnello. Neste momento, o consórcio trabalha na liberação da Farrapos. Foi feita a fresagem, e, ontem, estava sendo feita a imprimação, que é a aplicação de uma fina película de material betuminoso, a fim de aumentar a coesão da superfície. O asfalto será colocado na próxima semana.
Com 300 metros de extensão e largura de aproximada 9,5 metros, a trincheira fará a passagem de nível sob a avenida Farrapos, aliviando o trânsito na região. A via terá três faixas. Na última medição da obra, os técnicos calcularam que os serviços estavam 85,72% finalizados.
Ainda faltam trabalhos como a pavimentação asfáltica da estrutura superior, a conclusão do pavimento entre a saída da Ceará e a rua 25 de Fevereiro, a colocação da sinalização viária e a instalação elétrica da casa de bomba. A previsão de término é de seis meses, ou seja, outubro deste ano.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia