Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

Notícia da edição impressa de 17/04/2018. Alterada em 16/04 às 22h00min

Via no Cristal será aberta na próxima semana

Já concluído, logradouro espera sinalização da EPTC para ser liberado para trânsito

Já concluído, logradouro espera sinalização da EPTC para ser liberado para trânsito


MARIANA CARLESSO/JC
Isabella Sander
Uma nova via, que será liberada na semana que vem, deve facilitar a vida dos moradores da Zona Sul de Porto Alegre que passam pelo entorno do BarraShoppingSul no dia a dia. A Avenida do Parque terá 670 metros e fará a ligação entre as avenidas Diário de Notícias e Icaraí, no bairro Cristal. A inauguração está prevista para a próxima segunda-feira, dia 23 de abril.
A avenida, construída na margem direita no arroio Cavalhada, está pronta, com pavimentação e iluminação, mas segue bloqueada por cones. Isso porque a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) está terminando de implantar sinalizações para fazer a travessia de cavalos do Jockey Club em dias de corrida, entre 6h e 9h. Os animais precisam, regularmente, atravessar uma ponte que corta a via para chegar ao clube.
"A ponte foi mantida, porque não teríamos como tirá-la de lá até que sejam construídas baias (locais que abrigam os animais) para que os cavalos não precisem mais fazer a travessia. Foi um processo longo, e decidimos por essa solução provisória, para não perder o recurso que tínhamos para fazer a avenida", explica o secretário municipal de Gestão e Planejamento, José Alfredo Parode.
A obra foi feita pela construtora Toniolo Busnello e custou R$ 3,9 milhões, oriundos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio do Programa Integrado Socioambiental (Pisa). O financiamento para o programa era da ordem de US$ 39 milhões em execuções que precisavam ser pagas até dezembro de 2017. Iniciada em setembro do ano passado, a avenida tinha conclusão prevista para maio, mas ocorreu antes do previsto. O projeto envolveu a realocação de 1.450 famílias que moravam na região.
Em um primeiro momento, a Avenida do Parque contará com uma única faixa. Contudo, o projeto prevê a implantação de uma segunda faixa, na margem esquerda do arroio, a demolição da ponte e a extensão do logradouro até a avenida Cavalhada. Essa etapa deve ser concretizada quando as baias forem finalizadas pelo Jockey Club, o que deve demorar de seis meses a um ano, segundo Parode. "Pretendemos executar depois, com outra linha de financiamento", afirma o secretário. Ainda não há definição sobre de onde viria esse novo financiamento.
Além da construção das baias, a efetivação da segunda etapa do projeto depende da realocação de mais cerca de 200 famílias que não quiseram sair do local. A prefeitura ofereceu, como alternativa, um bônus indenizatório de R$ 78 mil ou o reassentamento em residências nos bairros Cristal e Vila Nova.
Iniciadas no final de 2007, as obras do Pisa visam ampliar a capacidade de tratamento de esgoto em Porto Alegre de 27% para 83% até 2020. Atualmente, 78% do esgoto da cidade é tratado. Para tanto, mais de 65 quilômetros de redes domésticas foram construídos, além de um emissário subaquático de 14 quilômetros - que vai até o Lami - e torres de bombeamento - uma próxima à Usina do Gasômetro e outra no bairro Cavalhada.
O valor total do programa é de R$ 587 milhões, pagos pelo BID e pela Caixa Econômica Federal, com contrapartida da prefeitura. O financiamento do BID foi encerrado no final de 2017, e todos os serviços já foram pagos pelo município. Está marcada para o dia 20 de abril a prestação de contas das obras.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
andre 17/04/2018 13h45min
Prezados, já possuímos na cidade a RUA DO PARQUE, não seria mais plausível adotar outra denominação e evitar a dificuldade daqueles que precisam buscar endereços?