Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 13 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

13/04/2018 - 14h24min. Alterada em 13/04 às 14h25min

Estado pretende imunizar mais de 3 milhões de pessoas contra a gripe

Vacinação inicia no dia 23 de abril e protege contra três tipos do vírus influenza

Vacinação inicia no dia 23 de abril e protege contra três tipos do vírus influenza


Marcello Casal Jr/Agência Brasil/JC
Paulo Egídio
A campanha nacional de vacinação contra a gripe terá início no dia 23 de abril e irá até 1º de junho. No Rio Grande do Sul, de acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (SES), a meta é imunizar 3,2 milhões de pessoas – ou 90% dos 3,6 milhões que compõem o chamado grupo de risco da doença, formado por idosos, crianças entre seis meses e cinco anos, gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, presidiários, pessoas com doenças crônicas ou que prejudiquem a imunidade e povos indígenas aldeados.
Conforme a SES, já na próxima semana, mais de 450 mil doses da vacina serão enviadas pelo Ministério da Saúde ao Estado e, em seguida, encaminhadas aos postos de saúde dos municípios. O número representa 12% do total necessário para vacinar todo o grupo de risco.
A vacina protege contra os vírus Influenza A (nos tipos H1N1 e H3N2) e Influenza B. Até o início de abril sete casos de incidência do vírus já haviam sido confirmados em território gaúcho, mas sem nenhum óbito.
Inicialmente prevista para começar na próxima semana, a campanha de vacinação estava prevista para iniciar na próxima segunda-feira (16), mas foi adiada para a semana seguinte devido a entraves na fabricação e na logística, que dificultaram a distribuição das doses da vacina.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia