Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

Alterada em 16/04 às 22h16min

Com time misto, São Paulo vence Paraná na estreia no Brasileirão

O São Paulo conseguiu o objetivo mais importante da noite desta segunda-feira que era vencer na estreia do Campeonato Brasileiro ao derrotar o Paraná por 1 a 0, no Morumbi. Era fundamental ganhar em casa de um rival que volta à Série A depois de dez anos. A maneira como o triunfo foi construído, no entanto, deixou um sentimento de frustração na torcida. O gol da vitória foi feito pelo zagueiro Bruno Alves, de cabeça, mas o time não teve uma atuação consistente e correu riscos diante de 11 mil torcedores.
Depois de seis jogos consecutivos por mata-matas (Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana), o técnico Diego Aguirre enfrentou uma partida de um torneio por pontos corridos, o que teoricamente poderia trazer tranquilidade. Mas o time se mostrou nervoso na parte final do duelo.
Diego Aguirre escalou um time misto. Arboleda, Liziero, Petros e Tréllez foram poupados para o jogo de quinta-feira, contra o Atlético-PR, pela Copa do Brasil. Com isso, o público presente ao Morumbi viu jogadores que não vinham atuando, como Brenner, escalado pela primeira vez como titular pelo novo treinador. Na lateral esquerda, outra novidade: o treinador escalou Régis, lateral ambidestro que chegou do São Bento, para jogar por ali - diante do Rosario Central, pela Copa Sul-Americana, ele atuou pelo lado direito.
Com essa escalação modificada, o time teve dificuldades para se encontrar em campo. A primeira chance de gol surgiu após um escanteio. O goleiro Richard saiu mal, ficou vendido, mas Brenner tocou para fora. Foram poucos momentos mais agudos. No final do primeiro tempo, a equipe perdeu o ímpeto inicial e as jogadas ficaram mais lentas e previsíveis. A torcida tentou aquecer o time no mesmo tempo em que Aguirre pediu intensidade na beira do campo.
Cueva entendeu que os recados eram também para ele e acordou no jogo. Não brilhante, mas fez o que espera dele: o toque de criatividade. Perto dos 30 minutos, ele deu um passe entre as pernas do zagueiro e Lucas Fernandes chutou em cima do goleiro. Aos 36, o peruano teve participação ainda mais importante. Ele cobrou falta na pequena área e Bruno Alves desviou para abrir o placar.
Dez anos distante da Série A, os paranaenses deixaram evidente a estratégia de esperar atrás da linha bola e especular um contra-ataque. O time não se intimidou no Morumbi, mas não tinha força para incomodar o dono da casa. O técnico Rogério Micale, que conquistou a medalha de ouro com a seleção brasileira nos Jogos do Rio, vai lutar apenas para se manter na Série A com o Paraná.
No segundo tempo, o São Paulo ficou mais vívido no ataque graças à entrada de Valdívia no lugar de Lucas Fernandes. Não houve grandes chances de gol, mas o time se tornou mais dinâmico e menos previsível. O Paraná criou uma boa alternativa com Silvinho em cima do lateral Militão, pelo lado direito. Com isso, o jogo ficou perigosamente aberto para o time da casa. Cueva foi vaiado quando deu lugar para Nenê. E o São Paulo assegurou o triunfo magro na estreia.
Na segunda rodada, no domingo, o São Paulo vai visitar o Ceará, no Castelão. No mesmo dia, o Paraná receberá o Corinthians no Durival de Brito.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia