Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

atletismo

16/04/2018 - 14h50min. Alterada em 16/04 às 15h48min

Japonês e americana vencem Maratona de Boston e quebram tabu de mais de 30 anos

Linden se aproveitou das péssimas condições climáticas, que prejudicaram os corredores africanos

Linden se aproveitou das péssimas condições climáticas, que prejudicaram os corredores africanos


RYAN MCBRIDE/afp/jc
O japonês Yuki Kawauchi e a norte-americana Desiree Linden superaram o frio de -3°C, os fortes ventos e a chuva e venceram nesta segunda-feira a Maratona de Boston. Os triunfos tanto no masculino quanto no feminino quebraram tabus que duravam mais de 30 anos.
Kawauchi cruzou a linha de chegada com o tempo de 2h15min58 e se tornou o primeiro japonês a vencer em Boston desde 1987, quando Seko Toshihiko subiu no degrau mais alto do pódio. O segundo lugar nesta segunda-feira ficou com o queniano Geoffrey Kirui (2h18min23) e o norte-americano Shadrack Biwott (2h18min35) completou o pódio.
Foi a primeira vitória de Kawauchi, de 31 anos, em uma maratona. Para ele, a primeira colocação veio justamente graças ao forte vento, à chuva e ao frio. "Foram as melhores condições possíveis para correr", comentou logo após completar a prova.
Linden também se aproveitou das péssimas condições climáticas, que prejudicaram os corredores africanos, e venceu com o tempo de 2h39min54. Havia 32 anos que uma corredora norte-americana não ganhava a prova. A última atleta do país a vencer em Boston foi Lisa Larsen, em 1985. "Não tenho palavras para expressar o que sinto. Devo tudo ao trabalho dos meus treinadores", afirmou Linden.
A também norte-americana terminou em segundo lugar com o tempo de 2h44min05 e a canadense Krista Duchene ficou com o terceiro lugar ao completar a prova em 2h44min20. A queniana Edna Kiplagat, que tentava o bicampeonato consecutivo, terminou em oitavo lugar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia