Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa do Mundo

12/04/2018 - 17h47min. Alterada em 12/04 às 17h48min

Conmebol pede à Fifa que antecipe aumento de seleções na Copa

Presidente da entidade, Alejandro Domínguez (d), fez proposta a Infantino (e) nesta quinta

Presidente da entidade, Alejandro Domínguez (d), fez proposta a Infantino (e) nesta quinta


EITAN ABRAMOVICH/AFP/JC
Agência O Globo
A Fifa aprovou aumento de participantes da Copa do Mundo a partir da edição de 2026, mas, no que depender da Conmebol, o crescimento do número de seleções no Mundial já se dará em 2022, no Qatar. O presidente da entidade sul-americana, Alejandro Domínguez, aproveitou a presença do presidente da Fifa, Gianni Infantino, no Congresso realizado nesta quinta-feira (12), em Buenos Aires, na Argentina, para revelar o pedido feito à entidade máxima do futebol.
A ideia é que o salto de 32 para 48 seleções já aconteça daqui a quatro anos e não mais em oito anos. "Como nós pensamos grande e porque queremos fazer justiça, quero fazer a entrega de uma carta de solicitação assinada pelos dez países da Conmebol para que o Mundial de 2022 se jogue com 48 equipes", afirmou Alejandro Domínguez, anfitrião do evento desta quinta.
O detalhe é que a preparação do Qatar está sendo construída pensando em 32 seleções. Se a ideia prosperar, seria necessário, em tese, um ajuste de rota, especialmente em relação a estádios.
Infantino foi perguntado sobre o pedido da Conmebol e até gostou da ideia. "Fui eu que abri o Mundial para 48 equipes. E temos essa petição, que parece uma ideia interessante. Mas temos que estudar a factibilidade dessa proposta. Se é ou não factível. É algo muito interessante e teremos que estudar a sério", comentou o presidente da Fifa, em coletiva após o Congresso.
Gianni Infantino também foi indagado sobre as chances da candidatura conjunta de Uruguai, Argentina e Paraguai para sediar a Copa do Mundo de 2030, comemorando na América do Sul o centenário da disputa entre seleções.
"Claro que a tradição do futebol na América do Sul é importante quando se pensa em organizar a Copa. O futebol é um esporte de tradição. Temos que levar em conta quando olhamos o futuro. Claro que fico feliz pelo interesse de organizar o Mundial de 2030 e espero que haja mais. Como a Copa com 48 participantes, é bom que haja candidaturas conjuntas e por isso o conselho aprovou", emendou o presidente da Fifa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia