Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 16/04 às 08h01min

Bolsas da Ásia fecham sem direção única, após ofensiva liderada por EUA na Síria

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta segunda-feira (16), com investidores digerindo os últimos desdobramentos das recentes tensões no Oriente Médio.
Na noite de sexta-feira (13), EUA, Reino Unido e França lançaram uma ofensiva militar na Síria, alegando retaliação a um ataque com armas químicas que teria sido lançado pelo regime de Bashar al-Assad contra a população síria.
Analistas ficaram aliviados com o escopo limitado da operação liderada pelos EUA e com o fato de ela não ter levado a uma grande escalada no conflito na Síria, que já está em seu sétimo ano.
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou ontem, porém, que ofensivas do tipo "inevitavelmente geram caos nas relações internacionais". Moscou é um antigo aliado do governo sírio.
Em Tóquio, o índice Nikkei garantiu modesta alta de 0,26% hoje, com a ajuda de ações de farmacêuticas, e terminou o pregão a 21.835,53 pontos. Na capital sul-coreana, Seul, o Kospi apresentou ganho marginal de 0,10%, a 2.457,49 pontos, graças ao bom desempenho de papéis dos setores de celulose, eletrônicos e automotivo.
Na China, por outro lado, o dia foi de perdas. O Xangai Composto recuou 1,53%, a 3.110,65 pontos, em sua terceira sessão negativa, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,52%, a 1.824,77 pontos. É provável que investidores locais tenham evitado tomar posições antes da divulgação, no fim da noite desta segunda, de uma série de indicadores chineses relevantes, incluindo o Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre e os últimos números sobre produção industrial e vendas no varejo.
Seguindo o comportamento dos mercados na China continental, o Hang Seng teve queda de 1,60% em Hong Kong, a 30.315,59 pontos, pressionado por ações financeiras e de tecnologia. Já o Taiex registrou leve perda de 0,10% em Taiwan, a 10.954,55 pontos, também influenciado por papéis do segmento financeiro.
Na Oceania, a bolsa australiana foi favorecida por petrolíferas que reagiram à forte valorização recente do petróleo, que superou 8% na semana passada. O S&P/ASX 200 avançou 0,21% em Sydney, a 5.841,30 pontos. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia