Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 08 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

bancos

06/04/2018 - 20h56min. Alterada em 08/04 às 12h25min

Governo do Rio Grande do Sul cancela a venda parcial de ações do Banrisul

Estado não informou qual era o preço-alvo desejado para a realização da transação

Estado não informou qual era o preço-alvo desejado para a realização da transação


MARCELO G. RIBEIRO/JC
O governo do Rio Grande do Sul cancelou oficialmente a venda parcial de ações do Banrisul porque a liquidez das ações ordinárias, com direito a voto, segue baixa e o preço não alcançou o nível desejado pelo Estado, informou o governo gaúcho. A operação foi anunciada pelo governador, José Ivo Sartori, em outubro do ano passado e detonou, de um lado, fortes resistências no campo político e, de outro, frustração do mercado pela manutenção do controle acionário do banco nas mãos do governo gaúcho.
O governo estadual não informou qual era o preço-alvo desejado para a realização da transação.
A venda do Banrisul é tema de embate entre o Rio Grande do Sul e o Tesouro Nacional. O Estado quer aderir ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), mas o governo federal exige que todas as estatais sejam colocadas à venda em troca do socorro. O governo gaúcho já sinalizou que aceita vender todas, menos o banco estatal.
A venda parcial das ações até o limite de 49% do capital votante do banco era interpretada pelos integrantes do governo como um gesto que poderia amenizar a insistência do Tesouro em exigir a privatização total da instituição. Embora não tenha constado na primeira versão do plano de recuperação apresentada pelo Estado, os gaúchos pretendiam incluir a receita esperada com a venda parcial do Banrisul nas previsões para o equilíbrio financeiro do Estado.
O Banrisul tem forte ligação com a população gaúcha, e o anúncio da venda parcial de ações causou em outubro reações de apoio e de críticas nas redes sociais. O mercado, por sua vez, se frustrou com a decisão porque via a permanência do risco de ingerência sobre a instituição.
No dia do anúncio, as ações preferenciais do banco caíram mais de 10%, cotadas a R$ 15,50. Hoje, no entanto, elas fecharam cotadas a R$ 19,70, com valorização de quase 38% no ano. Já as ações ordinárias, com direito a voto, são cotadas a R$ 25,30, com queda de 2,47% em 2018 e valorização de mais de 31% em 12 meses.
Mesmo assim, o governo gaúcho justificou o cancelamento dizendo que não vai vender o banco "a qualquer preço". "A liquidez das ações ordinárias segue baixa e não está alcançando o preço desejado pelo Estado. Conforme o governador já havia dito, as ações do Banrisul não serão vendidas a qualquer preço. Portanto, a operação foi cancelada", disse o governo gaúcho em nota.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia